São Francisco do Conde implanta Sala de Situação para enfrentamento do sarampo

A Secretaria da Saúde – SESAU, de São Francisco do Conde, realizou nesta manhã de quinta-feira (03) uma reunião ampliada com técnicos, profissionais da rede de saúde e gestores municipais, a exemplo do prefeito Evandro Almeida e secretários de diversas pastas, com vistas a discutir de forma técnica e administrativa a questão do sarampo.

O município vizinho de Santo Amaro registrou sete casos confirmados da doença. Por conta disso, a gestão municipal atenta ao problema e visando garantir segurança para a comunidade franciscana, tem adotado diversas estratégias de prevenção e bloqueio do vírus. Entre as ações está a implantação da Sala de Situação para acompanhamento e avaliação da situação epidemiológica até o prazo de 90 dias depois do último caso, caso ocorra algum.

Temos uma boa cobertura de vacinação no município e temos condições de enfrentar a situação com segurança. Hoje estamos com 90% de cobertura alcançada. Nossa equipe é comprometida e capaz“, frisou a gestora da pasta, Eleuzina Falcão.

A vacinação é a principal forma de prevenção da doença. E para garantir uma melhor imunização, alguns critérios técnicos serão adotados, a exemplo de territórios próximos ao município onde os casos foram confirmados.

Há mais de 30 dias estávamos correndo atrás de soluções para evitar o vírus do sarampo e estamos sensíveis a situação e na luta. Quero parabenizar a gestora Eleuzina Falcão pelo trabalho e empenho dentro do nosso território e declaro instalada a Sala de Situação de São Francisco do Conde, que vai discutir e trabalhar as questões relacionadas à doença. Fico imensamente feliz em ver tantas pessoas reunidas, participando desse momento de enfrentamento. Isso demonstra o compromisso da equipe de Saúde“, revelou o prefeito Evandro Almeida.

A doença não tem fronteira. Precisamos estar cientes, alertas e garantir a população o suporte e as ações previstas. Perante a população, vamos fazer orientações de forma clara e dizer que estamos trabalhando há bastante tempo para evitar que a doença seja um problema no território“, explicou o diretor da Atenção Básica em Saúde, José Raimundo Nogueira.