Primeiro Censo Educacional entra em sua reta final

Pouco mais de um mês de iniciado, o 1o Censo Educacional chega a sua fase final. Após uma pequena pausa, os trabalhos foram reiniciados nesta terça-feira (22 de agosto), com visita aos bairros de Santa Elisa e Macaco.

O censo é uma iniciativa da Secretaria Municipal da Educação – SEDUC, que arregimentou estudantes beneficiados pelo programa Bolsa Universitária para, através da contrapartida social prevista por lei, integrarem a equipe de recenseadores. Os dados recolhidos orientarão as ações do Plano Estratégico da SEDUC – o projeto VOAR – auxiliando no estabelecimento das políticas públicas educacionais.

Além disso, as informações obtidas servirão a todas as secretarias da gestão do nosso prefeito Evandro Almeida, vez que inserimos nos questionários, perguntas que apontam para a limpeza urbana, iluminação, pavimentação, entre outros”, declarou o secretário da Educação Marivaldo do Amaral.

Dentre os bolsistas que compõem o grupo que tem percorrido cada recanto de São Francisco do Conde está Ívia Marília, estudante de Enfermagem, na Faculdade Regional de Filosofia, Ciências e Letras de Candeias – FAC. “Quando assumi o compromisso de ser uma das pesquisadoras do censo, tive a oportunidade de conhecer quem são e como vivem as pessoas do município, só que dessa vez com os meus próprios olhos”.

Segundo Luan Menezes, diretor de Programas e Projetos da SEDUC, paira entre a equipe do Censo um sentimento de gratidão pelo acolhimento dos munícipes para com o trabalho realizado. “Tem sido uma experiência muito satisfatória para o PROUNIFAS e também para os estudantes que tiveram a oportunidade de prestar contrapartida social, além da convivência e interação com a comunidade e os colegas universitários”, declarou.

Os próximos bairros a receberem a equipe do 1o Censo Educacional serão Muribeca e Jabequara. “A partir dessa caminhada, espero que o objetivo seja alcançado e que as mudanças ocorram mais rápido do que os entrevistados imaginam, para que os mesmos voltem a ter esperança em conquistas e progresso”, completou a estudante Ívia.