Abertura da XI Conferência Municipal da Assistência Social é protagonizada pelo reforço no fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social

Na manhã da quarta-feira, 16 de agosto, foi realizada em São Francisco do Conde a XI Conferência Municipal da Assistência Social. Com o tema “Garantia dos Direitos no Fortalecimento do SUAS – Sistema Único de Assistência Social”, representantes dos poderes Executivo e Legislativo, bem como membros da sociedade civil e do Conselho Municipal de Assistência Social – CMAS reuniram-se na Câmara de Vereadores para discutir sobre a importância do momento.

O primeiro dos componentes da mesa de abertura a falar foi o secretário Aloísio Oliveira, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esportes – SEDESE e também representante do prefeito Evandro Almeida. Para ele, aquele se tratava de “um local de planejamento para as políticas públicas de assistência social que se desejava para o município”. Esse mesmo princípio foi também defendido por Telma Nogueira, conselheira da Assistência Social desde 2014. “Temos de fortalecer o controle social. Apesar do Conselho Municipal de Assistência Social ser um órgão deliberativo, dependemos diretamente da participação popular nas decisões prioritárias, bem como da administração municipal, dos usuários do SUAS e dos funcionários que fazem a gestão social”.

A conferência seguirá com programação no período da tarde, onde serão realizadas as deliberações e eleitos os delegados que irão representar São Francisco do Conde durante a Conferência Estadual da Assistência Social, a qual ocorrerá de 18 a 20 de outubro de 2017, em Salvador. Na oportunidade, a secretária executiva do Conselho Municipal de Assistência Social, Carlúcia Assis, a superintendente da Promoção Social e Combate à Pobreza da SEDESE e convidada do CMAS, Daoana Sales, e a presidente do CMAS, Luana Paim, cobraram a permanência e comprometimento das equipes na defesa dos direitos do SUAS.

Presente ao evento, o presidente e vereador da Casa Legislativa, Venilson Souza Chaves (Cravinho), falou da parceria entre a Câmara de Vereadores e a Prefeitura, em prol de melhorias das condições de vida dos franciscanos. “Quero dizer que essa casa dá apoio incondicional ao prefeito Evandro Almeida, o qual vem buscando cumprir a lei, e que o Ministério Público está aí para cobrar que as leis sejam cumpridas. O prefeito mostra que é cumpridor das leis desde o início, quando aqui realizou o concurso público, o qual já deveria ter sido feito há anos [..] e aqueles que passaram no concurso, mesmo não sendo de São Francisco do Conde, o que nós queremos é compromisso com a cidade”. No ensejo, Cravinho negou os boatos acerca do Programa de Acolhimento Social – PAS, que vêm circulando nas redes sociais. “Algumas pessoas, de maneira maldosa, aproveitaram esse momento difícil que o município vive, para dizer nas redes sociais que o PAS irá acabar. Isso é uma maldade das pessoas que não querem o bem de São Francisco do Conde. Não chegou nesta casa e nem foi discutido pelos vereadores o término do PAS, até porque nós sabemos da importância desse programa social para as pessoas, principalmente nesse momento de dificuldade. O que pode acontecer, se tiver de acontecer, é um aperfeiçoamento do programa. Da mesma forma como existe uma porta de entrada, temos sim de discutir uma porta de saída. Quem entra no PAS, entra por uma necessidade emergencial e isso não pode se configurar como uma necessidade permanente”, destacou.

Voltando a fazer uso do microfone, o secretário Aloísio Oliveira aproveitou para fazer um balanço das ações de avanço da SEDESE e falar das perspectivas futuras. Na lista estiveram: a entrega da casa nova dos programas sociais; a reformulação do CRAS de Caípe, que em breve será finalizada; a possibilidade de capitanear recursos através do BNDES para construção do CRAS de São Bento e Jabequara; abertura de novos CRAS no Coroado e na Muribeca; organização do RH da secretaria, feito recentemente, visando à diminuição da rotatividade dos profissionais que atuam na SEDESE, bem como o fortalecimento da assistência social.

A atividade da manhã contou ainda com apresentação dos usuários do CRAS de Caípe (faixa etária de 15 a 17 anos), que fizeram a dinâmica do abraço e cantaram hip hop, tendo Robert como facilitador. E, teve também apresentação do CRAS da Sede com o facilitador Pablo. A palestra magna foi proferida pela assistente social Jaciara Costa Santos.