Alunos da Frei Eliseu Eismman aprenderam mais sobre a história da primeira capital do Brasil em visita ao Museu Náutico

A educação não se faz apenas em sala de aula, mas também em contato com o mundo que nos cerca. Sob esse prisma, um grupo de estudantes da Frei Eliseu Eismman tiveram uma aula diferente, na última quarta-feira (22), quando conheceram o Museu Náutico, em Salvador.

Em um trabalho de campo interdisciplinar, unindo teoria e prática, os alunos do 5° ano  aprenderam, dentre outras coisas, a importância das navegações e dos fortes para a cidade de Salvador, um pouco mais a respeito das cartas náuticas, assim como o valor dos mapasOs estudantes entenderam a necessidade de conhecer a nossa história para que a gente entenda como se formou o nosso povo baiano e brasileiro. Eles viram o Galeão, que afundou na costa brasileira, e objetos que estavam neste navio e foram restaurados, fazendo parte da exposição”, explicou a professora Roberta Souza.

Nas palavras da professora P2 de Ciências e Geografia, Crislane de Jesus Sena, “a aula de campo no Museu Náutico da Bahia foi muito produtiva, pois possibilitou a ampliação dos conhecimentos desenvolvidos em sala com os educandos. O museu é um referencial de história, cultura e arte, assim sendo, era notório o encanto no rosto dos estudantes com cada artefato que eles vislumbravam no local”, destacou a professora.

Eu aprendi que Salvador é uma cidade bastante importante, fundada em 1549, um lugar de muita história, de arte, de muita cultura e de muita luta”, declarou, entusiasmada, a estudante Ana Luísa.

A professora Catiane da Silva Oliveira considera que “essa ida ao Museu Náutico foi bastante rica para os nossos alunos, já que ela foi pensada para complementar o trabalho que a gente desenvolve em sala de aula. Foi trabalhado na disciplina de História as grandes navegações, a expansão marítima, o descobrimento, etc”, disse.

Proporcionar aos nossos alunos essa experiência de entrar em contato com instrumentos de navegação, peças que eles conheciam das imagens de livros didáticos, foi bastante rico. Além de tudo, esse tipo de atividade desperta em nossos alunos a ampliação do repertório visual e, acima de tudo, permite que eles frequentem outros espaços de conhecimento”, complementou a professora Catiane.

Eu, como gestora, só tenho a agradecer aos meus professores por juntos realizarmos esse projeto, que está dentro da temática do ano letivo“, declarou a diretora da unidade escolar, Daniela Bispo. De acordo com ela, “essa aula prática foi para ver de perto aquilo que eles já tinham aprendido teoricamente, como a importância do Forte de Santo Antônio da Barra na história de Salvador e aprender mais sobre navegação. Foi um momento muito prazeroso de grande conhecimento!”.

A gestora também apontou a possibilidade da escola vir a montar o seu próprio museu, “com peças que a gente venha a conseguir no município”.