Aula de LIBRAS nas escolas: Uma conquista para São Francisco do Conde

A Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS foi reconhecida como língua oficial do Brasil em abril de 2002, quando conquistou o mesmo status legal da Língua Portuguesa. Esse acontecimento garantiu sua inserção no conteúdo curricular, como um novo idioma comum a todos os alunos, surdos e ouvintes.

Atenta à importância desse fato, a Gerência de Educação Especial/Inclusiva, através do Núcleo Bilíngue de LIBRAS, sob a coordenação de Ana Cristina Cabral e Itaciara da Silva, tem realizado várias ações no sentido de desenvolver o aprendizado da linguagem de sinais no município,  uma delas são as oficinas de LIBRAS nas escolas.

A LIBRAS, língua natural dos surdos, tem sido difundida nas unidades escolares com o objetivo de garantir o ensino da LIBRAS L1 e da Língua Portuguesa L2 na educação de surdos matriculados na rede municipal de São Francisco do Conde, em uma perspectiva cultural, visual, construindo valores e interesses da comunidade surda e ouvinte. As oficinas são ministradas pelas professoras de LIBRAS.

Tanto o curso de LIBRAS para a coordenação pedagógica, quanto as oficinas são de muita importância para a difusão da LIBRAS no nosso município. Dessa forma, a LIBRAS está sendo ensinada nas escolas para uma inclusão de verdade”, afirmou Ana Cristina, coordenadora do Núcleo Bilíngue da SEDUC.

Atualmente, as oficinas têm ocorrido no Instituto Municipal Luiz Viana Neto (Projeto de Vida na Educação de Jovens e Adultos – EJA), na Escola Frei Eliseu Eismann, na Creche Menino Jesus e na Escola Arlete Magalhães (CEJAL). “Faz parte da nossa missão, lançar todas as estratégias possíveis, como as oficinas de LIBRAS nas escolas, para garantir mais inclusão em nossa rede. Além de ensinar uma nova linguagem, essa iniciativa promove o respeito pelas diferenças, essencial na formação de nossos jovens e crianças”, declarou o secretario da Educação Marivaldo do Amaral.

O Núcleo Bilíngue também está ministrando um curso de LIBRAS, dentro do Departamento Pedagógico – DIREP/SEDUC, com a finalidade de expandir os conhecimentos. Em uma das aulas, esteve presente o estudante surdo Vitor dos Santos Silva, que está próximo de prestar vestibular e sonha em ser professor de LIBRAS. Ele traduziu em algumas palavras sua opinião sobre a difusão da LIBRAS: “aprender, desenvolver, praticar, se esforçar, capacidade, importante bondade!”.