Aula inaugural do Pré-ENEM marca um novo ciclo na Educação franciscana

Os estudantes franciscanos que querem ingressar no Ensino Superior acabam de ganhar um reforço precioso: o curso Pré-ENEM Intensivo. A nova ação da Prefeitura de São Francisco do Conde, através da Secretaria Municipal da Educação (SEDUC), em parceria com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), irá preparar os alunos para o Exame Nacional do Ensino Médio.

A inauguração do Pré-Enem foi iniciada com as apresentações artísticas dos músicos guineenses Filipe Buba e Alexandre Sapalo, alunos da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), junto com a também estudante da UNILAB, a mato-grossense Juciana Aparecida, que executaram uma performance musical.

A UNILAB é parte de um projeto de interiorização do Ensino Superior bem peculiar porque é associada com uma proposta de internacionalização. É também um importante vetor de desenvolvimento social. Estar aqui no município e território é parte de um projeto de emancipação de um povo, através da democratização do saber. Dentro da sua missão, a UNILAB precisa cumprir com a contrapartida social. Fazer parte do Pré-Enem é uma forma de dar uma contribuição nesse projeto que aposta tanto no saber, a partir do Ensino Superior”, declarou Mírian Reis, diretora do Campus dos Malês. Ainda segundo ela, “o princípio fundamental da UNILAB é da solidariedade entre os povos, o que significa justiça social, cidadania e oportunidade para brasileiros e africanos. Participar do projeto para acesso à universidade é contribuir de forma solidária para a emancipação de um povo”.

O público lotou o espaço, que contou com a exposição dos artistas franciscanos Mário Moreira e Marcos Albertonny. Segundo o jovem artista Mário, ele desenha o estilo realista há 3 anos e é autodidata. Seus desenhos estão à venda e ele também trabalha sob encomenda (71 99219-8322).  À noite, ainda teve as apresentações artísticas dos franciscanos Tainá Cristina (participação musical), Raiani Alcides (poesia), Jotaka Dance (dança).

A placa de inauguração do Pré-ENEM foi descerrada pelo secretário da Educação Marivaldo do Amaral, pela secretária estadual de Cultura Aracy Santana, pelo presidente da Câmara de Vereadores, Venilson Chaves (Cravinho) e pela diretora do Campus Malês da UNILAB, Mírian Reis. Segundo o secretário Marivaldo do Amaral, “estamos retomando o Pré-vestibular em uma versão mais moderna e sustentável, que passará a ser chamado de Pré-ENEM. Esta parceria com a UNILAB proporcionará para os nossos jovens franciscanos o acesso ao Ensino Superior com um custo infinitamente menor aos cofres do município. O projeto do Pré-vestibular, que perdurou durante 21 anos, foi fantástico, mas, depois de muitos anos, após mudanças importantes no modelo de acesso ao Ensino Superior no Brasil, precisávamos modernizar a forma da gestão, para assegurar a oferta do curso, economizando o volumoso recurso que a cidade investia para custear o curso preparatório. Com a economia,  já conseguimos concluir o prédio do novo CEAS e construir uma nova creche“, disse. “Vocês estão dando um primeiro passo, que é um salto para uma vida melhor”, continou o secretário da Educação, referindo-se aos mais de 150 estudantes que lotavam a plateia. “O que está acontecendo aqui é o cumprimento do planejamento estratégico da Secretaria da Educação, passo a passo, em um caminho que irá melhorar cada vez mais nossa Educação. Sabemos o que significa acessar esse espaço para adentrar o Ensino Superior. Esta é uma grande oportunidade para que vocês possam avançar com o Enem e poderem acessar o mundo acadêmico”, reiterou o secretário, que enfatizou a importância da equipe SEDUC, em especial do PROUNIFAS, para concretização desse importante momento.

A secretária estadual de Cultura, Arany Santana, iniciou sua aula magna contando um pouco do seu percurso estudantil. Oriunda de uma família de proletários, ela foi estimulada por seus pais a ser a melhor aluna da turma, como uma forma de proteger os filhos do racismo e da exclusão. ”O que me levou a ser hoje a secretária da Cultura? Sempre procurei conhecer a minha história e me assumir enquanto mulher negra. Quando a gente sabe quem somos, de onde viemos, isso nos leva a saber aonde queremos chegar. O surgimento do Ilê Aiyê muito me ajudou a procurar o meu espaço, isso foi muito importante na minha vida, mas a sala de aula foi sempre o meu palco principal. Daqui poderão sair futuros prefeitos, secretários, diretores de universidades… é a Educação que nos faz andar com a cabeça erguida, pisar firme no chão e conquistar o que queremos. Tenho certeza que o futuro dessa cidade está aqui e se estamos aqui é porque houve outras gerações ancestrais que lutaram e resistiram. Estudem! Esse é o único caminho para a libertação”, concluiu a professora Arany.

O evento também contou com relatos de franciscanos que ingressaram na universidade pública através do Pré-vestibular, que marcou uma geração, e que agora retorna sob a nova roupagem do Pré-ENEM.