Diálogos Pedagógicos 2019, um verdadeiro sucesso!

A primeira edição do Diálogos Pedagógicos 2019 – Currículo: Tecendo Saberes e Fazeres na/da Educação deu o que falar. E os comentários não poderiam ter sido melhores! Durante três dias, os profissionais da Educação do município estiveram envolvidos em uma programação ampla, que contou com a participação de importantes nomes nacionais que pesquisam o currículo. Além disso, as famílias dos estudantes da Rede Municipal de Ensino também foram protagonistas no evento, formando um cenário ideal para as reflexões e conversações a respeito dos temas caros à Educação, que é um compromisso de todos.

Para a diretora pedagógica da Secretaria da Educação, Cristiana Ferreira, ”o Diálogos Pedagógicos suscitou muitas discussões acerca do fazer pedagógico e da construção do currículo franciscano, pois como atores curriculantes que somos dessa ação, seremos propositivos nessa construção coletiva da rede municipal de ensino, com os nossos saberes e valores. Eu acho que o Diálogos Pedagógicos nos trouxe isso, principalmente porque nós não ficamos só com os profissionais da Educação, mas nós trouxemos também a família para perto, foi um momento muito forte. O momento com os colaboradores marcou com a perspectiva da nossa ancestralidade, no nosso processo formativo. Todos os momentos de discussão foram muito ricos para a rede e na perspectiva do diálogo que era a proposição que a gente trazia”.

O Diálogos Pedagógicos também aqueceu a economia local. De acordo com a nutricionista e responsável técnica da SEDUC, Joélia Borges, 09 empresas de alimentação do município fizeram prestação de serviço durante o evento.

Presença de autoridades municipais

O mestre de cerimônia deu início à solenidade de abertura do Diálogos Pedagógicos 2019 presenteando o público com as biografias de Carolina de Jesus e de Paulo Freire, que ilustraram toda a arte gráfica do evento, cuja estética foi inspirada no artista plástico Eduardo Kobra. A mesa foi formada pelo prefeito Evandro Almeida, o vice-prefeito e secretário de Governo Carlos Alberto Bispo Cruz (Nem do Caípe), o secretário da Educação Marivaldo do Amaral, o presidente da Câmara de Vereadores, Antônio Carlos Lopes (Pantera), a presidente do Conselho Municipal de Educação, Josaíra Xavier, a diretora da UNILAB, Míriam Sumica, e a ex-aluna do Instituto Municipal Luiz Viana Neto, Luana Medeiros, recentemente aprovada no Instituto Federal da Bahia – IFBA. Confira algumas falas:

Paulo Freire é o patrono da educação brasileira, quer se queira ou não, e Carolina de Jesus disse sim quando todos diziam não para ela. Importante também mostrar que os diálogos devem ocorrer entre o currículo e as práticas cotidianas, levando em conta as especificidades regionais. A UNILAB é parte do esforço e da luta desse território em promover um acesso democratizado da educação, que não é um espaço reservado para uma elite intelectual” – Mírian Sumica, diretora do Campus dos Malês da UNILAB.

É com imenso carinho e esperança que damos boas-vindas a cada um de vocês. Queremos parabenizar a SEDUC, na pessoa do secretário Marivaldo do Amaral, e dizer que o Diálogos Pedagógicos é um espaço de troca e de escuta com aqueles que fazem a educação acontecer. O planejamento e o projeto pedagógico precisam ser ampliados e trabalhados. A escola precisa pensar o aluno como um ser integral. O poder público está atento aos desafios e não medirá esforços para resolvê-los” – Josaíra Xavier, presidente do Conselho Municipal de Educação.

Não existe nada importante na vida que não esteja relacionado à educação. É o melhor caminho para que o ser humano possa ser independente. Vocês que vieram de lugares tão distantes são importantíssimos nesse processo de transformação. A educação pode reconstruir pedaços dispersos da vida. Tenho certeza de que vocês estão aqui porque amam o que fazem. E nossos jovens dependem de vocês para termos uma sociedade em que nossas crianças e jovens sejam protagonistas da história. Contamos com o conhecimento de vocês para dar aos franciscanos o conhecimento que só Deus poderá tirar” – Antônio Carlos Lopes (Pantera), presidente da Câmara de Vereadores.

O que mais me motivava a ir para a escola é porque tinha quadra e campo. Por isso, me coloco no lugar desses jovens e peço ao nosso prefeito para construirmos mais quadras cobertas, unindo Esporte e Educação. Parabéns a todos vocês da SEDUC que trabalharam tanto para deixar tudo aqui tão arrumado” – Carlos Alberto Bispo Cruz (Nem do Caípe), vice-prefeito e secretário de Governo.

O Diálogos tem objetivo de refletir e construir com aqueles que fazem o dia a dia da escola. Em conversa com a equipe, sempre sinalizamos que essa construção ocorre porque temos uma rede e é para isso que existimos. O Diálogos inicia como principal ação deste ano que, junto com um coletivo de profissionais, irá construir a proposta curricular do município de São Francisco do Conde. Daqui a alguns anos poderemos perceber esse legado que o prefeito deixará para o município. O objetivo é subsidiar nossos educadores para que possam passar por esse processo de formação, por isso estamos doando três livros com a temática do currículo e teremos os autores aqui conosco. Essas obras, que cada educador receberá, irão ajudar para que possamos fazer um currículo democrático, com a cara de São Francisco do Conde. Temos buscado fazer um trabalho de gestão que reflita em qualidade para nossa rede” – Marivaldo do Amaral,  secretário da Educação.

Todo o investimento e planejamento da gestão tem como centro a qualidade na educação para a autonomia e liberdade. Quando retiro recurso de outra fonte para Educação é porque quero ver essa cidade crescer com uma educação de qualidade. Os tempos são outros, a Prefeitura não pode ser apenas a empregadora da cidade. Na avaliação do MEC, São Francisco do Conde alcançou a maior nota no IDEB de todos os tempos. Isso é o resultado do esforço de cada um de vocês que fazem a educação de nossa cidade. Reitero meu compromisso em substituir a rede física de escolas que estão ultrapassadas. Tenho feito isso com a entrega do CEAS, em Caípe, e da escola Rilza Valentim, na Estrada de Campinas” – Evandro Almeida, prefeito.

A Palestra Magna

O Prof. Dr. Roberto Sidnei Macedo brindou o público presente no Diálogos Pedagógicos 2019 com uma palestra, cujo tema foi Currículo: campo, conceito e pesquisa, em consonância com o tema do ano letivo da Rede Municipal de Ensino de São Francisco do Conde, Currículo: tecendo saberes e fazeres da/na Educação. Ele iniciou a Palestra Magna dizendo que a construção do currículo municipal é uma atitude política e pedagógica. ”Os profissionais não podem ser apenas aplicacionistas da Base Comum Curricular – BNCC. O currículo não é um documento que lista conteúdos em uma carga horária, mas os saberes e conhecimentos em uma sociedade com uma economia do conhecimento”.

Como vou me apropriar de um conjunto de saberes para melhorar minha vida? Esse é o cerne de uma proposta curricular”, salientou. ”Devemos fazer um currículo interdisciplinar que saiba fazer relações entre os temas e disciplinas com a vida. Uma sociedade que não organiza bem os seus saberes está fadada a assinar uma carta de dependência com outros países. Precisamos de um currículo que eduque para o presente e dê qualidade de vida aos nossos cidadãos”.

O currículo existe porque a formação qualificada é fundamental. Para isso, é preciso um amplo diálogo, enredamentos, conversas. Para começar a falar de currículo temos que começar pelas conversações curriculares”, explicou o professor, que foi um dos responsáveis pela elaboração da proposta do Currículo Bahia. 

Os maiores atores nessa construção curricular são os professores e professoras. O trabalho docente é refletido e debatido. Os professores se reúnem, os alunos e as famílias se manifestam. Tudo isso produz conteúdo”, continuou o prof. Dr. Roberto Sidnei Macedo, que foi aplaudido de pé pela plateia, no encerramento da palestra, que é só o início da construção do currículo municipal franciscano, pautado nos aspectos socioculturais e históricos da região.

Mesa Redonda

A Mesa Redonda Currículo e seus saberes aconteceu na tarde do primeiro dia do Diálogos Pedagógicos. Dela, participaram as professoras Cláudia Santos (UFBA/GEPEC/LEPEL), Claudilene Silva (UNILAB) e Cristina D’Ávila (UFBA), verdadeiras sumidades nos temas apresentados, respectivamente: A cultura da reprovaçãoO currículo e a lei nº 10.639/03 e Currículo, didática e ludicidade.

Após cada professora apresentar um panorama de suas temáticas, subsidiando poderosas reflexões, foram abertas as perguntas para o público, que contribuiu ativamente com as discussões. O clima, durante a atividade, foi marcado por uma intensa troca de conhecimento, quando foram respondidas perguntas da plateia, o que promoveu um aprofundamento ainda maior das temáticas apresentadas.

Momento da família

A manhã do segundo dia (19) de Diálogos Pedagógicos 2019 foi dedicada às famílias dos alunos da Rede Municipal de Ensino, quando foi realizada a palestra Linguagens de amor: afeto seguro, com a neuropsicóloga Cleudia Fernandes. Cleudia prendeu a atenção dos pais, mães e responsáveis pelos estudantes da Rede Municipal de Ensino, envolvidos com a temática que abordou a importância do vínculo afetivo e do bom exemplo dentro de casa.

Hábitos são construídos e mantidos durante a vida. Se você comer apenas macarrão, seus filhos não vão comer brócolis”, destacou a neuropsicóloga.

Evite falar palavrões. Ao invés de dizer que é a sua forma de se expressar, aprenda a falar diferente. Não xingue seu filho, não delegue a ele maldição. Palavras boas devem ser ditas. Devemos demonstrar a importância de cumprir as obrigações, elogiando o cumprimento das atividades escolares para que nossos filhos se sintam valorizados”.

Cleudia frisou que ”toda vez que você chama seu filho de gordo, achando que isso irá ajudar ele na mudança do padrão de comportamento, isso diminui a estima e ninguém que não goste de si vai querer cuidar de si. A depender da forma como você faz sua punição, isso irá aumentar ou diminuir a autoestima do seu filho”.

Ela ainda salientou que ”estudos já comprovam que crianças de até 2 anos e meio que não têm apego com a mãe, não conseguiu se conectar com ela por causa de uma postura de distanciamento”. Ela alertou sobre a importância do estreitamento do vínculo afetivo com os pais para a garantia de um futuro saudável e promissor para a criança.

Segundo o secretário da Educação, Marivaldo do Amaral, “não adianta a escola fazer o trabalho com todo empenho e a família não fazer sua parte. E o objetivo de trazer as famílias para participarem desse momento é exatamente para mostrar que quando elas se fazem presentes, o resultado é muito melhor. Naturalmente, com a presença das famílias nas escolas, elas passam a cobrar mais dos profissionais que trabalham no cotidiano escolar, bem como do poder público, da Secretaria da Educação, da gestão municipal; passam a cobrar mais nos serviços prestados. Então, quando a gestão do nosso prefeito abre as portas para as famílias é porque ela está de braços abertos também para acolher as cobranças e questionamentos, até porque o espírito da gestão é exatamente fazer com que a Educação venha a avançar com a participação de todos. Não é à toa que o lema que inspira o trabalho da SEDUC é ‘Educação com qualidade: um compromisso de todos!’ e foi isso que o Diálogos Pedagógicos veio consolidar, com a participação de todos que fazem o dia a dia, seja em casa, seja na escola e nos mais variados espaços por onde o estudante transita. Todos contribuindo para uma boa formação!”.

Diálogos com os colaboradores da Educação

A atividade Diálogos com os colaboradores da Educação foi voltada especialmente para motoristas, merendeiras, porteiros, auxiliares de serviços, equipe da Ronda Escolar, assistentes de direção, secretárias escolares e agentes de apoio da Rede Municipal de Ensino.

Em sua palestra, o Prof. Me. Anailton dos Anjos chamou a atenção para a mutilação psíquica sofrida pelos antepassados negros e de como, muitas vezes, o currículo escolar reforçou a ideia de que o povo negro era escravo e passivo. O professor também chamou a atenção para a importância da gratidão na vida de cada um.

Para se chegar até aqui, alguém lhe ajudou nessa conquista. Nesse momento, a quem você gostaria de agradecer por tudo que você já conquistou?”, questionou.

O curta-metragem Viva Maria (com audiodescrição) foi exibido para a plateia, que acompanhou a história de uma criança que foi impedida de estudar pela tendência de sua família trabalhar apenas na roça. ”Fica aí fazendo nada, desenhando nome”, foi o que a garota escutou de sua mãe.

O filme auxiliou na reflexão dos contextos individuais de cada um e encaminhou a palestra para discutir a importância dos estudos para o empoderamento do cidadão, sobretudo aquele que teve sua história marcada pela falta de oportunidade.

Anailton dos Anjos também salientou a importância de toda a comunidade escolar para a qualidade na Educação. “Se nós estamos querendo fazer uma educação que pareça conosco, ela não poderá ser feita apenas pelo professor. Seria muito cômodo fazer esse encontro pedagógico apenas com os professores – ‘aqueles que alistaram o banco da ciência’ – mas a SEDUC acredita que no porteiro existe um saber, na merendeira existe um saber, no motorista… seja qual for a função que você exerce nesse lugar!”, afirmou.

Quando a secretaria convida o corpo técnico para estar pensando esse currículo é também para pensarmos o que tenho feito para garantir essa educação de qualidade? O que faço como porteiro que vai influenciar nesse processo? Será que o meu sorriso ou a minha cara fechada irá estimular ou afastar alguém da escola? Quando também age com intolerância religiosa dentro da escola, será que também não estou afastando alguém dos estudos”, incitou Anailton, que complementou, ”repense como você vai voltar a atuar na escola após o dia de hoje”.

De acordo com o secretário Marivaldo, ”ao chamarmos para o Diálogos Pedagógicos todos aqueles que convivem diariamente com os nossos estudantes, a Secretaria da Educação passa uma mensagem e mostra o norte que estamos construindo, rumo ao nosso aluno da rede como prioridade das nossas ações. Nós chamamos professores, coordenadores pedagógicos, diretores, vice-diretores, assistente de direção e toda a equipe que trabalha no dia a dia da escola, desde a merendeira até os porteiros e os agentes de apoio; todos esses servidores passaram por um processo de formação. Convidamos também as famílias dos estudantes, que tiveram uma palestra com um tema que falava da linguagem do amor. A proposta da secretaria com isso é instrumentalizar todos os que convivem diariamente com esse que é o nosso principal alvo, o nosso estudante. Tudo é para ele e por ele. Esse é objetivo da Secretaria da Educação e do nosso prefeito Evandro Almeida, que tem como missão construir a qualidade da Educação a partir dos diversos atores que somam no processo de formação dos estudantes“.

Demais atividades

Além das atividades narradas, durante o Diálogos Pedagógicos, ainda aconteceram lançamentos de livros, exposições artísticas, inauguração da Sala Verde e compartilhamento de suas propostas, apresentação do novo PROAP (Programa de Atenção, Acompanhamento Pedagógico e Psicossocial a Estudantes) e muito planejamento pedagógico. O saldo do evento foi avaliado pelos participantes como extremamente positivo. Agora, introduzida a discussão sobre a construção do currículo municipal, estão sendo formados Grupos de Trabalho (GT’s) que irão desenvolver estudos, reflexões e muitos diálogos com o objetivo final de construir a proposta curricular do município.

Essa abertura do ano letivo em forma de Diálogos Pedagógicos dá o tom de como a Secretaria da Educação está planejada e organizada para a construção da proposta curricular municipal no ano de 2019. Este será um feito histórico para o nosso município, não tenho dúvidas nenhuma, e o objetivo nosso é fazer junto com todos os profissionais que compõem a rede, no seu sentido amplo. Queremos fazer um currículo franciscano com a cara de São Francisco do Conde, mas que tenha também um propósito de levarmos nossos jovens a perceberem o conhecimento em uma perspectiva global e local, como muito bem falou o professor Roberto Sidnei. A abertura do ano letivo veio como um pontapé inicial do cumprimento daquilo que está no planejamento estratégico da SEDUC”, concluiu o secretário da Educação, Marivaldo do Amaral.