Encontro de Formação Continuada reuniu professores e coordenadores pedagógicos

A Prefeitura de São Francisco do Conde, através da Secretaria Municipal da Educação – SEDUC, realizou no último sábado (03), no plenário da Câmara de Vereadores, o I Encontro de Formação Continuada com professores e coordenadores pedagógicos da rede municipal de São Francisco do Conde. O tema abordado foi “A importância da leitura no processo ensino-aprendizagem”, que busca incentivar o prazer pela leitura no ambiente escolar. Ao todo foram convocados 517 profissionais para participar do encontro que aconteceu durante todo o dia, em três ambientes diferentes, de acordo com os respectivos profissionais.

No auditório da UNILAB, a programação foi voltada para os professores e coordenadores do Ensino Fundamental II. Já no auditório da Escola Arlete Magalhães, a programação foi voltada para os professores da Educação Infantil enquanto que na Câmara Municipal de Vereadores o encontro foi para os professores e coordenadores do Ensino Fundamental I. O encontro também contou com a parceria do Programa de Atenção e Acompanhamento Pedagógico e Psicossocial a Alunos e Professores – PROAP. E, além de palestras, o encontro também adotou outras metodologias, como apresentação poética, apresentação de fantoche, contação de histórias, orientações sobre saúde e qualidade vocal do professor, impostação vocal e seus impactos para o aprendizado, além de uma apresentação do IBRADESC.

O secretário da Educação, Marivaldo do Amaral, ressaltou a importância do encontro para a qualidade da educação no município. “Momentos como esses direcionam onde nós queremos chegar, e não há educação com qualidade sem a formação continuada dos professores. Esse sábado foi o primeiro de muitos outros dias que nós faremos formação, com o objetivo de qualificar os nossos professores para que eles possam fazer uma aula mais prazerosa para os nossos estudantes, porque o resultado que nós queremos chegar é uma elevação do nível de qualidade da nossa Educação, e nós só conseguiremos isso instrumentalizando o professor. Nós sabemos que algumas faculdades não ensinam o docente a ser docente, ensinam conhecimento especializado ao professor. Cabe a nós, como Secretaria da Educação e enquanto gestão do prefeito Evandro Almeida, trabalhar nessa qualificação. Então, esse primeiro sábado é o começo de muitos outros com o intuito de dar qualidade de formação didático-pedagógico aos nossos professores”.

Na mesma perspectiva, a gerente de Formação Continuada do Departamento Pedagógico da Secretaria da Educação, Rosi Rodrigues, também enfatizou o fortalecimento da rede de ensino através da formação continuada. “A Secretaria da Educação tem priorizado estratégias de fortalecimento da educação no município através da formação continuada, além de entender todo esse processo e essa dinâmica de que a educação é a longo prazo, mas com estratégias e plano de ação direcionados esperamos ter um ótimo resultado em pouco tempo”.

Convidada para palestrar sobre o tema, a professora e também escritora do livro “Cabelo Belo”, Valuza Saraiva, falou sobre os aspectos da afetividade no contexto escolar. “A importância disso é a gente pensar na proficiência das crianças, dos jovens e adultos que estão na rede. Esse lugar precisa melhorar cada vez mais esse desenvolvimento da leitura das crianças nas várias perspectivas que trabalhamos na palestra, os aspectos da afetividade, das emoções, dos sentimentos e do código que também é importante para empoderar essas crianças porque os jovens e as crianças da nossa classe precisam se sentir pessoas que sabem e para saber é preciso ler o código. O momento é de reflexão com relação a aprendizagem dos profissionais da educação que também precisam perceber o que sabem e o que precisam avançar e aprender, e ao mesmo tempo como isso influencia para o desenvolvimento da proficiência leitora das nossas crianças, jovens e adultos da rede”.

A professora, escritora do livro “Cabelo Belo” e terapeuta de análise corporal, Gedalva da Paz, também enfatizou essa preocupação e a responsabilidade de ensinar a ler e escrever. “Quando se tem a responsabilidade de ensinar a ler e escrever, isso não é sozinho, vem com a história que a criança pertence. Uma história de ancestralidade, uma história social, política e econômica. É quando a criança se percebe como ela com o seu cabelo, nariz e corpo. Quando uma criança é elogiada verdadeiramente ela tem muito mais abertura para aprender, isso porque desenvolve um vínculo afetivo que proporciona aprendizado. O livro ‘Cabelo Belo’ traz também uma aceitação de forma geral de como a criança se enxerga com suas características físicas. O que de fato importa é ser feliz com o corpo que se tem”.

No final do evento, houve uma apresentação de fantoche da Biblioteca Arthur de Salles, gerenciada por Josélia Amaral, que de forma lúdica contou a história de Chapeuzinho Vermelho.