I Brincatelier: Brincantes no Território das Infâncias

Em clima lúdico e alegre, semelhante aos anos pueris da infância, aconteceu, durante todo o sábado (02), o I Seminário de Educação Infantil Brincatelier: Brincantes no Território das Infâncias. O evento é uma iniciativa da Gerência de Educação Infantil da Secretaria Municipal da Educação (SEDUC) e aconteceu na Escola Arlete Magalhães (antigo CEJAL).

“O Brincatelier nasceu ainda ontem com uma vontade enorme de recriar espaços e tempos para pensar o brincar livre, o brincar com brincar, aqui, lá, acolá. A escolha é de cada um ou de todos brincantes de se envolver com esta linguagem que permeia todos afazeres humanos”, comentou Márcia Diana, da Gerência de Educação Infantil.

Ainda segundo ela, “a ideia surgiu depois que eu, Jaine Ribeiro, Cistiana Ferreira e Elienai Barreto participamos do Encontro Nacional sobre Ludicidade, realizado na UFBA, o ENELUD. Ficamos encantadas com o que vimos, o que fortaleceu nosso olhar sobre o brincar, brincadeiras e brinquedos na Educação Infantil. O que mais fortaleceu nossa prática foi perceber ainda mais como o brincar pode ser feito de várias formas em diversos lugares e com materiais simples que encontramos no dia a dia, as chamadas sucatas”.

Durante o seminário ocorreu a formação do G1 – Educação Infantil, com a condução das professoras Me. Sálua Chequer e Me. Rose Ramos, facilitadoras que são fruto da parceria com o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento das Cidades – IBRADESC. A formação começou com uma Ciranda de Conversas sobre o brincar e como ele permeia os espaços das escolas da Educação Infantil.

“Do pensar e criar territórios para o brincar, afinal brincar é uma condição primeira da criança”, explicou Márcia. No segundo momento do seminário, aconteceram diversas oficinas contemplando esses brincares, nas quais os professores ficaram livres para escolherem as de maior interesse.

Na área externa da Escola Arlete Magalhães, diversos materiais de sucatas foram dispostos de modo a possibilitar a criação, no momento livre, compartilhando entre professores e  alunos da rede. “Montamos na perspectiva do brincar de diversas maneiras. As oficinas foram realizadas no período vespertino com alguns formadores da rede e convidados. Também ocorreram apresentações das escolas Julieta Porciúncula e Almir Pinto”, informou a gerente de Educação Infantil.

Na visão do secretário da Educação Marivaldo do Amaral, o afeto e a ludicidade são fundamentais no processo de aprendizagem, “temos investido muito na ludicidade como estratégia para tornar a arte de aprender, a arte de ser feliz. Não tenho dúvidas de que nossos estudantes evoluirão muito ao aprender brincando. A arte de educar é antes de tudo a arte de amar, e é com muito amor que temos promovido esta festa lúdica dentro de sala de aula”, declarou.