I Encontro de Surdo é um marco para a comunidade franciscana

A quinta-feira, 23 de novembro, foi uma data muito especial para a comunidade surda do município. Nesse dia, aconteceu, no Instituto Municipal Luiz Viana Neto, o I Encontro de Surdo de São Francisco do Conde, que teve o objetivo de refletir a importância da LIBRAS na aquisição da Língua Portuguesa como segunda língua para surdos e a valorização da cultura surda.

A ação foi uma iniciativa da Gerência de Educação Inclusiva/Núcleo Bilíngue de LIBRAS, da Secretaria Municipal da Educação (SEDUC), composta por Denize Correia, Ana Cristina e Itaciara Silva. Durante o encontro, surdos, familiares e professores compartilharam suas experiências, tornando o ambiente, um espaço de apoio mútuo, onde as trajetórias de cada um foram contadas, reforçando a autoestima e fortificando a caminhada desse público especial.

É um trabalho de formiguinha esse esforço pela inclusão. Está sendo mágico todos reunidos aqui, cada um com sua história de vida e de luta, onde se evidencia a dificuldade para a conclusão dos estudos e o ingresso no mundo trabalho”, declarou Denize Correia. Dentre os participantes do evento, muitos ex-alunos surdos que interromperam seus estudos, mas durante a atividade foram mobilizados a voltarem para a sala de aula. “Queremos garantir a acessibilidade nas escolas, com a aprendizagem de sua própria língua, a L1 – LIBRAS e a L2 – Língua Portuguesa”, explicou Itaciara, que também fez o papel de intérprete durante o diálogo.

Um dos depoimentos mais emocionantes foi o de Lipe, como é carinhosamente chamado o jovem que relatou sua história de dificuldades e conquistas, como forma de encorajar outros surdos, a exemplo de Luís Fernando, que já concluiu o Ensino Médio, mas está em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho. De acordo com os depoimentos, a maior dificuldade consiste na comunicação, uma vez que ainda são poucas as pessoas que conhecem a língua de sinais, embora, desde 2002, ela já seja considerada, oficialmente, a segunda língua brasileira.

A fim de diminuir essas dificuldades é que a SEDUC vem se empenhando para oferecer, cada vez mais, aulas de LIBRAS na rede municipal de ensino, além de equipar as escolas com salas multimídia, contendo os recursos necessários para o trabalho pedagógico com os deficientes auditivos. Nesse sentindo, o Instituto Municipal Luiz Viana Neto é uma referência na rede.

Auxiliado por intérpretes, pude me comunicar com um grupo expressivo de surdos que esteve presente ao encontro, sentindo na pele a importância de expandirmos cada vez mais o ensino de LIBRAS nas escolas de nossa rede municipal de ensino. Essa é uma vontade do nosso prefeito Evandro Almeida”, declarou o secretário da Educação Marivaldo do Amaral, que esteve presente ao encontro. Ainda segundo o secretário, “a criação do Núcleo Bilíngue da Diretoria Pedagógica já é um avanço, mas nosso desejo é que possamos incluir cada vez mais os deficientes auditivos em nossa sociedade, pois acreditamos muito no potencial e na vontade desse grupo, muito visível na atividade de hoje”.