IPHAN assina ordem de serviço para restauração do teto do Convento Santo Antônio

A presidente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Kátia Bogéa, esteve em São Francisco do Conde neste domingo (13), para visitar o Convento de Santo Antônio e trazer uma boa notícia para os franciscanos que há muito tempo lutam pela restauração desse patrimônio histórico e cultural do município.

Na ocasião, a presidente foi recepcionada pelo prefeito Evandro Almeida, a primeira-dama Iasmin Barbosa, o vice-prefeito Carlos Alberto Bispo Cruz (Nem do Caípe) e sua esposa Leila Costa, o deputado federal Cacá Leão, o deputado estadual Rosemberg Pinto, o presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Leo Prates, a coordenadora técnica do IPHAN, Flor de Lis Dantas, além dos membros da Comissão Salve o Convento e dos secretários municipais, Ússula Flávia Pinto (SETUR), Vanessa Dantas (SECOM), Osman Ramos (SECULT), Ruy Barbosa (SEPROJE), Marivaldo do Amaral (SEDUC), Aloísio Oliveira (SEDESE), Ana Christina Oliveira (SEDEC), o ouvidor geral Alberto Jorge Matos (Beto Maria), a secretária de Gabinete Ana Cristina Marques, além dos vereadores Robson Gomes Portugal, Edcarlos de Almeida Vasconcelos (Pita de Gal), Antônio Santos Lopes (Pantera) e o diretor legislativo e confrade da Academia de Letras e Artes de São Francisco do Conde, José Raimundo Fonseca, que na oportunidade, declamou um poema contando a história do Convento Santo Antônio e a sua importância para a formação e preservação da identidade do povo franciscano.

A presidente do IPHAN, Kátia Bogéa, enfatizou a união das autoridades municipais, federais e estaduais na luta para a restauração do Convento, assim como da comunidade franciscana.

Na oportunidade, ela também ressaltou o comprometimento do deputado federal Cacá Leão em viabilizar ações que pudessem assegurar os trabalhos desenvolvidos pelo IPHAN.

Na vida a gente não faz nada sozinho, a gente só faz dando as mãos um com o outro. Esse é o princípio básico, a fraternidade entre todos. O deputado Cacá adotou o IPHAN no coração dele e ajudou a instituição no momento mais difícil. Enquanto presidente da Comissão de Orçamento, ele viabilizou a realização do concurso do IPHAN e salvou a instituição. Quando ele salva o IPHAN ele salva o patrimônio brasileiro todo, não só da Bahia. O prefeito Evandro Almeida juntamente com Cacá foram ao meu encontro e levaram um livro muito bonito que contava a história do convento e relataram toda luta do povo franciscano para a restauração do Convento. Hoje iremos assinar essa dispensa de licitação, onde o IPHAN irá iniciar com a obra para a restauração da cobertura, no valor de 544 mil reais. O IPAC (Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia) e o Governo do Estado se comprometeram em licitar o projeto. O IPHAN dentro das suas possibilidades e do seu orçamento faz o possível para a preservação e valorização dos patrimônios e eu jamais deixaria de atender algo dessa magnitude. A estrutura de restauração é gigantesca, a igreja, o convento e a ordem. Nessa perspectiva, é preciso pensarmos em recursos sustentáveis, algo que possa manter alguns custos básicos de manutenção que ajude na sustentabilidade desse patrimônio”.

Em seu pronunciamento, o prefeito Evandro Almeida agradeceu aos deputados Cacá Leão e Rosemberg Pinto pelo apoio nessa luta e ao governador Rui Costa.

O gestor também agradeceu a presidente do IPHAN, o presidente do IPAC João Carlos de Oliveira, aos membros da Comissão Salve o Convento e aos vereadores do município.

“Uma das partes mais importantes desta restauração do Convento está com o Governo do Estado, que é a parte do projeto. Além do recurso, é de fundamental importância o projeto executor. Nesse sentido, agradeço ao governador Rui Costa que esteve em nossa cidade e garantiu o apoio do governo nessa missão. Iremos assinar essa Ordem de Serviço e com fé em Deus e com a nossa união tudo dará certo”, reforçou o prefeito.

O deputado estadual Rosemberg Pinto falou sobre o comprometimento do Governo do Estado para a elaboração do projeto de restauração do convento.

“Esse projeto de restauração é um compromisso do Governo do Estado da Bahia. No entanto, é preciso planejarmos um projeto de sustentabilidade do Convento após a restauração para que exista condições de manutenção”.

O deputado federal Cacá Leão, também salientou a importância da preservação do Convento, enfatizou o trabalho primoroso desenvolvido pelo IPHAN, através da dedicação da presidente Kátia Bogéa, e deu uma grande notícia para o povo franciscano.

“No primeiro momento pensávamos que seria apenas a contenção, mas agora Kátia nos trouxe essa notícia que iria restaurar a cobertura do Convento. Até o mês de novembro provavelmente o projeto estará pronto, e como deputado federal irei fazer uma emenda para o IPHAN de 15 milhões de reais para executar a restauração completa do Convento de Santo Antônio”.

Muito emocionado, o frei Rogério Rodrigues falou sobre a luta para a restauração do Convento, agradeceu ao prefeito Evandro Almeida, a presidente do IPHAN, bem como aos deputados, vereadores, secretários, a população e aos membros da comissão.

“Depois de tanta luta para a concretização desse processo de restauração do Convento, hoje estamos vivendo um momento histórico. O Convento pertence a província, mas sobretudo, é do povo de São Francisco do Conde, que nos acolhe e nos abraça. Agradeço a presidente do IPHAN, ao presidente do IPAC, ao prefeito, ao secretário Ruy Barbosa, vereadores e ao governador Rui Costa que quando esteve no município nos recebeu e tivemos a oportunidade de relatar as necessidades do Convento. Todos colaboraram para que o nosso sonho não fosse uma utopia, mas sim uma realidade”.

Valdelice dos Santos, que coordena a Comissão Salve o Convento, também ressaltou a importância da união para a realização desse sonho.

“No dia que interditaram esta casa tivemos dois sentimentos, tristeza e esperança. Tristeza porque não podíamos mais adentrar para participar das celebrações, e a esperança de que algo pudesse acontecer. Nossa história não pode ir à falência, ela tem que continuar, pois um povo que não tem sua cultura viva é um povo que está morrendo, e nós não queremos isso para o nosso povo, nem para o nosso município e a nossa igreja”.