Janeiro Branco: Secretaria da Saúde propõe ações voltadas à saúde mental nas unidades

O começo de um novo ano é um período que inspira novos planos e realizações. Essa época também é propícia à reflexões sobre emoções, pensamentos e propósitos de vida. Neste contexto foi criada a campanha Janeiro Branco no Brasil, em 2014, com o intuito de valorizar o bem-estar psíquico, incentivar mudanças de comportamento e a adoção de uma postura mais positiva.

Com base nessa ação, a Prefeitura de São Francisco do Conde, através da Secretaria da Saúde – SESAU propôs uma Agenda da Saúde onde cada mês é destacado através de cores e temas a serem trabalhados com a população franciscana. O objetivo é designar assuntos relevantes para serem abordados em todos os setores que prestam assistência a população, levando conteúdo de qualidade, combatendo as fake news e informando a população.

O mês de janeiro foi representado pela cor branca e os temas a serem trabalhados são: o combate a hanseníase, pois 27 de janeiro é o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase. A data foi instituída pela Lei nº 12.135/2.009 com o objetivo de chamar a atenção da sociedade e das autoridades de saúde sobre a importância da prevenção e do tratamento adequado da doença. Além disso, a saúde mental também é tema de sala de espera, roda de conversa e palestras nas Unidades de Saúde da Família e outros serviços.

Na última terça-feira, 22 de janeiro, o Centro de Atenção Psicossocial – CAPS, Enoque Valentim Filho, promoveu um encontro com foco no Janeiro Branco e nas ações de Saúde Mental e Qualidade de Vida.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) relaciona a saúde não apenas à ausência de doenças. O relatório produzido pela instituição aponta que saúde mental é um estado de bem-estar em que o indivíduo percebe suas próprias habilidades, consegue enfrentar as situações estressantes que são comuns nas rotinas diárias e é capaz de ter uma vida ocupacional produtiva.

A campanha Janeiro Branco busca valoriza o equilíbrio mental e alerta sobre o perigo de doenças como a depressão, a ansiedade e o estresse.

A equipe do Centro de Atenção Psicossocial é composta por: psiquiatra, psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, educador físico, nutricionista, equipe de enfermagem, farmacêutico e técnicos.

Os principais atendimentos em saúde mental são realizados nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) onde o usuário recebe atendimento próximo da família com assistência multiprofissional e cuidado terapêutico conforme o quadro de saúde de cada paciente.

Essa ação também acontece nas Unidades de Saúde da Família, Clínica de Referência à Saúde da Mulher – CRESAM, entre outros espaços.