LIBRAS agora é a segunda língua oficial de São Francisco do Conde. A novidade foi anunciada durante o II Encontro de Surdo

O auditório 02 de Julho, sediado na Secretaria Municipal da Educação (SEDUC), foi palco do II Encontro de Surdo, ação que visa propiciar a inclusão da comunidade surda em São Francisco do Conde.  A Diversidade Linguística no Contexto Escolar é o tema do evento, realizado durante o Setembro Azul.

A atividade é uma realização da Gerência de Educação Especial/Inclusiva, junto com o Núcleo de LIBRAS da SEDUC, e visa democratizar o conhecimento e garantir a inclusão. “É um momento muito importante e gratificante, onde estamos todos reunidos para unirmos forças em prol da inclusão. Convidamos todos para abraçarem essa causa da inclusão”, declarou Denize Correia, gerente de Educação Especial/Inclusiva.

A mesa de abertura foi composta pelo secretário da Educação Marivaldo do Amaral, a gerente de Educação Especial/Inclusiva Denize Correia, a coordenadora do Núcleo de Libras Ana Cabral, o representante da comunidade surda de São Francisco do Conde, João Lipe Reis, Lucas Jambeiro – líder da comunidade baiana, Isabela Nascimento – representante da UNILAB, Vitória Juveniana – aluna surda do Instituto Municipal Luiz Viana Neto, Camila Rocha – aluna ouvinte do Instituto, Maria Ducilene – diretora de Gestão Escolar, e Elienai Barreto, representando a Diretoria Pedagógica.

As integrantes do Núcleo de LIBRAS da SEDUC, Ana Cabral e Itaciara Oliveira, apresentaram a temática do II Encontro de Surdo, onde foi abordada a estrutura da Língua Brasileira de Sinais. “A LIBRAS é uma língua espaço-visual, não é estabelecida pelo canal auditivo, mas pela visão”, explicou Ana Cabral. “O surdo pode ter qualquer profissão. A única diferença entre um surdo e um ouvinte é a Língua de Sinais”, considerou a coordenadora do Núcleo, que explicou a diferença entre professor de LIBRAS, intérprete de LIBRAS e instrutor surdo.

A história da inclusão de surdos em São Francisco do Conde foi contada por Itaciara Oliveira, uma das precursoras da Língua Brasileira de Sinais no município. “Na gestão do prefeito Evandro, o progresso continua. A criação do Núcleo de LIBRAS da Secretaria da Educação é um reflexo disso”.

O secretário da Educação Marivaldo do Amaral, durante o II Encontro de Surdo, anunciou uma importante notícia para a comunidade surda, a homologação da Lei Municipal n° 540, de 19 de setembro de 2018, que institui a LIBRAS como a segunda língua oficial do município. “Hoje é um dia muito importante para a nossa rede municipal e para a nossa cidade porque estamos dando um importante passo para um caminho sem volta, rumo ao avanço e à inclusão, cumprindo um dos principais papeis da Educação, que é garantir a inclusão. Essa conquista leva a nossa cidade a acolher e incluir o cidadão surdo na sociedade. Em decorrência disso, a Secretaria da Educação passa a ofertar no currículo de todas as escolas a LIBRAS, que passa a ser o segundo idioma do município. Isso implica em repensar toda a estrutura dessa cidade. Agora é uma lei municipal e, portanto, uma obrigação do município. São Francisco do Conde está sendo pioneira nessa iniciativa na região”.

O evento também contou com apresentações, em LIBRAS, de estudantes da rede municipal de ensino, demonstrando um pouco do aprendizado obtido em sala de aula, sobretudo durante o Setembro Azul. Tailane Ferreira é aluna do 5° A, da Escola Arlete Magalhães, e foi uma das participantes. Segundo ela, “somos iguais e precisamos aprender LIBRAS para nos comunicar com todos”.