Médicos de São Francisco do Conde participam de “Formação de Gestores e Preceptores de Residência Médica no SUS”

Curso

São Francisco do Conde foi selecionado para participar do projeto de “Formação de Gestores e Preceptores de Residência Médica do Sistema Único de Saúde – SUS”, realizado pelo Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL), em São Paulo. Apenas 100 municípios brasileiros poderão integrar-se ao programa.

A Secretaria Municipal da Saúde – SESAU recebeu a notícia durante o “XXX Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems)” e “XI Congresso Brasileiro de Saúde, Cultura e Paz e Não Violência”, ocorrido na cidade de Serra, no Espírito Santo, na primeira semana de junho

São Francisco do Conde indicou dois profissionais para o programa: Edilene Carvalho da Ressurreição Dias, médica da USF de São Bento, e Ana Cláudia Reis, enfermeira da Atenção Básica. A formação acontecerá de agosto a dezembro de 2014 e os encontros serão realizados presencialmente, uma vez por mês (três dias consecutivos), na sede do instituto, com complementação à distância pela plataforma de ensino do IEP/HSL. O primeiro encontro presencial aconteceu nos dias 04, 05 e 06 de agosto

De acordo com as informações do instituto, os critérios de indicação dos municípios foram assim definidos: aprovados para abertura de cursos de Medicina; que não possuam programas de residência médica; que apresentem capacidade instalada potencial; ou que tenham curso de Medicina apoiado pelo IEP/HSL.

O objetivo do projeto é contribuir para o processo de expansão e qualificação dos programas de residência médica no SUS, por meio da capacitação de profissionais de saúde na gestão desses programas. Outra meta é a facilitação de processos educacionais na saúde, para a reorientação dos modelos de atenção e de formação, ampliando o acesso e integralidade do cuidado em redes de atenção à saúde

Dos 100 municípios indicados, 30 são da região Sudeste, 11 da região Sul, oito da região Centro-Oeste, 37 do Nordeste e 14 da região Norte. Após o período de formação, os dois gestores de aprendizagem terão a missão de indicar mais 10 médicos para que sejam treinados, os quais serão os facilitadores.
Entre as metas do projeto está a disseminação dos novos conhecimentos construídos; manter a qualidade educacional profissional; articular e ampliar a abrangência e o impacto dos projetos no SUS, dentre outras.