Os cinco anos da UNILAB, Campus dos Malês, foi comemorado em São Francisco do Conde

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB, Campus dos Malês, completa nesta última segunda-feira (23), cinco anos no município franciscano.

Em comemoração a este importante marco para o desenvolvimento da cidade, autoridades municipais, a exemplo do prefeito Evandro Almeida, do vice-prefeito Carlos Alberto Bispo Cruz (Nem do Caípe), bem como secretários e vereadores participaram junto aos deputados federais Jorge Solla e Alice Portugal, da diretora da UNILAB, Mirian Reis, do representante do Governo do Estado da Bahia, Marcius Gomes, e dos representantes de sindicatos e associações estudantis, participaram desse momento histórico que celebra e reforça as lutas em defesa da UNILAB.

Nós vamos continuar essa luta. No que precisar da Prefeitura pode contar. Aqui já foi contada a luta da saudosa prefeita Rilza Valentim para trazer a UNILAB para São Francisco do Conde. Esse também é o momento de cobrar toda a bancada da Bahia para lutar pela UNILAB. Estou fazendo uma carta aberta para os prefeitos que compõem o Consórcio Somar para que possam também nos ajudar nessa empreitada. Enquanto prefeitos, temos a responsabilidade de lutar pela educação. Pensar em educação é o que nós temos feito, a exemplo das notas de referência que a universidade tem obtido nos órgãos educacionais do país. A UNILAB é nossa, está em São Francisco do Conde e vamos encarar essa luta”, enfatizou o gestor Evandro Almeida.

O secretário da Educação de São Francisco do Conde, Marivaldo do Amaral, também fez uso da palavra e relembrou os momentos difíceis para implantação da universidade em solo franciscano. “Esse é um momento de muita emoção para mim, porque passa um filme em minha memória quando estamos aqui celebrando os cinco anos da UNILAB. Universidade que nasceu das lutas de um grupo de pessoas, que era visto como louco, mas esse sonho se tornou possível e real na vida de São Francisco do Conde e de toda região. Hoje, a UNILAB também ajuda a educação básica municipal a incluir jovens na universidade pública. A UNILAB fez uma parceria com a SEDUC para as aulas do Pré-ENEM, onde conseguimos a aprovação de muitos franciscanos. A UNILAB cumpre o seu papel social e se integra com a cidade. Tem ajudado a escrever uma nova história em São Francisco do Conde. O momento hoje é de gratidão. A saudosa prefeita Rilza Valentim enfrentou uma luta grande para conquistarmos a UNILAB e, hoje, o prefeito Evandro Almeida dá seguimento a essa luta colocando a gestão à disposição dessa universidade, indo à Brasília para fortalecer a universidade, sobretudo em momentos como esse que o país está vivendo. Torna-se imprescindível a união de todos em defesa da UNILAB. Essa universidade tem muito a somar para o desenvolvimento da região”.

Representando o governador Rui Costa e o secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, o coordenador executivo de Projetos Estratégicos da SEC, Marcius Gomes, saudou a todos os presentes e discorreu sobre as ações do governo em prol da educação. “Saúdo o prefeito Evandro Almeida e ressalto o compromisso dessa gestão pela educação superior, a exemplo dos deputados e de todos que estão aqui presentes. A UNILAB tem em sua essência o acesso dos estudantes mais vulneráveis à universidade. O Estado da Bahia possui ações importantes para o acesso desses jovens nas universidades públicas. Esse é um momento de muita dificuldade, com cortes, mas o cenário também é de esperança com os professores e todos que estão dentro das universidades. Parabéns a toda comunidade da UNILAB e juntos iremos resistir às dificuldades”.

O deputado federal Jorge Solla, ao fazer uso da palavra, também enfatizou os tempos sombrios que ameaçam as universidades públicas do país. “Quero parabenizar a UNILAB pelos cinco anos dos cursos presenciais, pois a universidade, que superou as dificuldades da sua implantação nos primeiros anos, hoje vive um momento muito difícil diante das decisões que vem sendo tomadas, tendo como características um tripé capaz de tanto retrocessos com ataques aos direitos trabalhistas, previdenciário, educação, saúde, assistência social, e aos patrimônios públicos, a exemplo do esquartejamento da Petrobras. A UNILAB é um projeto muito especial que oportuniza aqueles que mais precisam. Acompanhei o processo desde o início e reitero o meu compromisso em defesa da UNILAB, do patrimônio da educação brasileira”.

No mesmo viés, a deputada federal Alice Portugal, muito agarrida, discorreu sobre os entreves para a implantação da UNILAB no Congresso Nacional. “Quero parabenizar a diretora Mirian pela luta, assim como seu corpo técnico e a juventude que compõe a universidade. Cumprimento o prefeito Evandro que vem abraçando UNILAB, uma grande filha para São Francisco do Conde. Parabéns ao município franciscano por abrigar essa universidade que une nações. Esse é um grande patrimônio que precisa ser defendido. Nesses cinco anos de brilho, hoje a UNILAB sofre uma grave ameaça e está vulnerável por causa da doença de que a educação é gasto e não investimento, que educação é balbúrdia e com cortes nos investimentos e nas bolsas de pesquisa. Esse é um momento de se acenar para a luta em defesa da UNILAB e de todas as instituições. A luta para aprovação do projeto da UNILAB foi muito grande, onde muitos colocaram entraves, isto porque não entendiam a sua importância, achavam peculiar, exótico e fizeram de tudo para que não fosse aprovado o projeto, pedindo vistas em todas as votações. Com todas essas lutas, hoje a UNILAB está presente. Precisamos levantar as nossas vozes contra esses cortes, pela garantia do estado democrático de direito”.

O presidente da Câmara de Vereadores de São Francisco do Conde, Antônio Santos Lopes (Pantera), também expressou o seu sentimento perante UNILAB. “Lembro-me da luta que foi para implantá-la aqui na cidade. A UNILAB representa a união dos povos, une continente através da língua portuguesa. Desejo a UNILAB vida longa. A luta continua, porque a educação é o melhor caminho para termos dignidade. Que a nossa força e a nossa união possa servir para alavancar o ensino de São Francisco do Conde”.

Ao final da cerimônia, a diretora do Campus dos Malês, Mírian Reis, trouxe alguns dados referentes à universidade, bem como à sua estrutura, percentual de estudantes quilombolas, professores e técnicos. Ela também relembrou um momento marcante, como uma foto de formatura de Ensino Superior composta por todos os estudantes negros. Na ocasião, a diretora também discorreu sobre os índices financeiros para manter a universidade e os baixos investimentos ao longo do tempo, além do andamento das obras dos dois módulos para o curso de Medicina e o Festival das Culturas – ação da universidade que integra toda a comunidade externa. “Os secretários estão rentes com a gente para a implantação desse curso e com a finalização dessa obra. Quero chamar atenção dos parlamentares para que juntos possamos lutar contra os cortes na educação, bem como na garantia de políticas de acesso estudantil. Agradeço a presença de cada um de vocês e reforço a importância de abrirmos o novo campo de diálogo”.

Ao encerrar sua verbalização, a diretora, junto com docentes, discentes, técnicos e demais profissionais da universidade, soltaram o grito que reflete o momento: “Malês, resiste!”.