Saúde realizou atividade educativa com enfermeiros e técnicos

A Secretaria da Saúde – SESAU, de São Francisco do Conde, promoveu uma importante discussão com cerca de 40 profissionais enfermeiros e técnicos de enfermagem das Unidades de Saúde da Família, sobre sífilis e hepatites virais.

O objetivo desse encontro, que aconteceu na última terça-feira (30), no auditório da SESAU, foi compartilhar os dados do município e os protocolos de atendimento, visando qualificar as equipes de Saúde da Família a atuarem nessas duas doenças de forma rápida e segura. Pela manhã, o encontro focou na temática da sífilis.

A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto.

A infecção por sífilis pode colocar em risco não apenas a saúde do adulto, como também pode ser transmitida para o bebê durante a gestação. O acompanhamento das gestantes e parceiros sexuais durante o pré-natal previne a sífilis congênita e é fundamental.

Teste Rápido (TR) está disponível nos serviços de saúde do SUS, sendo prático e de fácil execução, com leitura do resultado em, no máximo, 30 minutos, sem a necessidade de estrutura laboratorial. Esta é a principal forma de diagnóstico da sífilis.

Ainda no período da manhã, a secretária da Saúde, Eleuzina Falcão, aproveitou o momento com os profissionais para falar sobre Arbovirores (dengue, zika e Chikungunya) e sobre um surto de sarampo que ocorre no país com casos já confirmados na Bahia.

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB) divulgou um alerta para o surto de sarampo na Bahia, na segunda-feira (29), após três casos importados da doença no estado serem confirmados. Segundo a Sesab, o primeiro caso foi de uma pessoa que mora em São Paulo e chegou em Porto Seguro, em junho deste ano. Os outros dois foram de uma pessoa que estava em São Paulo e chegou em Salvador e de uma menor de 12 anos que viajou para Espanha e retornou para a capital baiana.

A Sesab informou que os principais sintomas do sarampo são tosse, em geral seca e irritativa; febre alta; coriza, sensibilidade à luz; manchas vermelhas na pele e dores no corpo.

A recomendação para os profissionais de saúde é que seja feita a notificação de todos os casos de suspeita de sarampo, independente da idade e da situação vacinal anterior.

Vamos voltar a discutir esse tema antes da campanha de vacinação em agosto, principalmente para atualizar os dados epidemiológicos e trazer informações sobre o assunto. Ao retornarem as suas unidades socializem o que já foi discutido aqui com toda equipe, principalmente com os ACS (Agentes Comunitários de Saúde), que são o elo com a comunidade”, salientou a secretária Eleuzina Falcão.

O diretor da Vigilância Epidemiológica, Reinaldo Xavier, salientou que: “não é preciso marcação para realizar os exames para detecção do sarampo e arboviroses, a sorologia é feita no setor de Vigilância da Secretaria da Saúde, de preferência pela manhã”.

A capacitação foi possível através de ações em conjunto com a Vigilância Epidemiológica, departamento de Atenção Básica em Saúde, Educação Permanente.

No período da tarde foi a vez de falar sobre as hepatites virais, dados, prevenção e tratamento.

As hepatites virais são inflamações causadas por vírus que são classificados por letras do alfabeto em A, B, C, D (Delta) e E. No Brasil, mais de 70% (23.070) dos óbitos por hepatites virais são decorrentes da Hepatite C, seguido da Hepatite B (21,8%) e A (1,7%).

O SUS oferece tratamento para todos, independente do grau de lesão do fígado.

Com informações do Ministério da Saúde.