Unidades de Saúde levam mensagem de prevenção e autocuidado durante Outubro Rosa

Em São Francisco do Conde, o combate ao câncer e as ações preventivas em alusão ao Outubro Rosa estão sendo levadas aos bairros da cidade através das Unidades de Saúde da Família. A Secretaria Municipal da Saúde – SESAU vem promovendo em todos os bairros atividades para falar sobre o tema e levar informações para as mulheres.

O Monte Recôncavo promoveu atividade para um grupo de adolescentes durante a Semana Rosa, quando aconteceram triagens, dinâmicas e palestras sobre a origem do Outubro Rosa  e a importância da prevenção.

O Outubro Rosa também foi lembrado durante atividade na Unidade Satélite do Macaco, com aproximadamente 50 mulheres. As usuárias ainda receberam massagens terapêuticas, com a fisioterapeuta Adriana.

A SESAU divulgou a escala das atividades em alusão a campanha nas Unidades de Saúde, CRESAM e CAPS. O Outubro Rosa termina com a chegada do Novembro Azul, que visa combater o câncer de próstata. As duas campanhas de combate ao câncer vão ser lembradas através de uma caminhada no dia 1° de novembro, com o tema: “São Francisco do Conde abraça esta causa, abrace esta causa você também”.

Outubro Rosa

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população. O movimento começou em 1990 na primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, e hoje é realizado em vários lugares do mundo.

 

Novembro Azul

É uma campanha de conscientização realizada por diversas entidades no mês de novembro, dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata. O movimento surgiu na Austrália, em 2003, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado em 17 de novembro. No Brasil, o Novembro Azul foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque.