Minuta aprovada em Audiência de Pactuação do PDDM mostra como será São Francisco do Conde daqui a 10 anos

No último dia 24 de maio, a Secretaria Municipal de Planejamento – SEPLAN, de São Francisco do Conde, promoveu um dia memorável no município com a realização da Audiência de Pactuação do Plano Diretor de Desenvolvimento Municipal – PDDM. O evento teve como propósito validar com a sociedade civil todas as abordagens demandadas durante as audiências públicas ocorridas anteriormente, em que o coletivo vem decidindo sobre o futuro da cidade, no que tange os setores de Meio Ambiente, Gestão e Cidadania, Desenvolvimento Econômico e Social, e, Infraestrutura e Dinâmica Urbana.

Hoje, estamos colocando aqui os anseios da população para o desenvolvimento da cidade nos próximos anos”, relatou o superintendente da SEGOV, Eliezer de Santana, durante abertura do evento. Na sequência, a professora de Urbanismo da UNEB, Liliane Mariano, ratificou que o momento só estava sendo possível, devido à iniciativa e participação populares. Ela ainda destacou que o documento deve ser visto como de “responsabilidade de todos”. Já o presidente da Câmara e vereador Venilson Souza Chaves (Cravinho) disse que “após aprovado na Câmara e sancionado pelo prefeito Evandro Almeida será preciso dar continuidade ao plano, sempre em busca do melhor para nossa cidade”.

A secretária de Planejamento e responsável pela execução da ação, Silmar Carmo, destacou o empenho de sua equipe técnica para concretização de mais uma etapa do PDDM e agradeceu aos delegados presentes à votação e ao prefeito Evandro Almeida pela sensibilidade e responsabilidade com o futuro dos munícipes. “Nós, enquanto agentes públicos, temos a obrigação de entregar um projeto que qualifique a cidade. Esse momento é fruto do fortalecimento da sociedade civil de São Francisco do Conde”. O prefeito Evandro Almeida, por sua vez, disse que “o PDDM vai contemplar o município pelos próximos 10 anos e vamos fazer o melhor para nosso povo. Estamos aqui para projetar a cidade para um futuro melhor”.

Entre as demandas, ficaram ratificados que o macrozoneamento municipal dividiu-se em nove macrozonas: Sede, Monte Recôncavo, Paramirim, Socorro, Muribeca, Engenho de Baixo, Caípe, Santo Estevão e Jabequara – todos estes caracterizados como zonas urbanas. Já a Ilha das Fontes, Vencimento, Madruga e Ilha do Paty foram reconhecidos como Vilas Tradicionais por possuírem características de zonas mistas, onde há aspectos urbanos e rurais.

Na mesa de abertura da oitiva estiveram presentes o prefeito Evandro Almeida; a secretária de Planejamento Silmar Carmo; a coordenadora do PDDM, Flávia Manoela Barbosa; o superintendente da Secretaria Municipal de Governo, Eliezer de Santana – o qual esteve representando o vice-prefeito e secretário da pasta, Alberto Bispo Cruz (Nem do Caípe); o presidente da Câmara Municipal, o vereador Venilson Souza Chaves (Cravinho); e, a professora Dra. Liliane Mariano, da UNEB. A mesa subsequente, de validação das prioridades municipais, foi composta por Fábio Luiz (representante da gestão administrativa), Israel Ribeiro (representando a sociedade civil organizada), o vereador Mário Nogueira (rep. da Câmara), além de Flávia Manoela, coordenadora do PDDM, que encerrou a ação.

O PDDM é uma exigência do Estatuto da Cidade e se dá na esfera da ação política e de construção de novos vetores de desenvolvimento econômico e social, no qual está em disputa a própria noção de desenvolvimento, a partir de diferentes visões dos cidadãos sobre a cidade que desejam. A audiência aconteceu no Campus dos Malês – UNILAB (Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira), situado na Baixa Fria – Sede de São Francisco do Conde.