Profissionais de saúde e estudantes da UFRB se reúnem para discutir racismo institucional

Na manhã desta segunda feira, 18 de março, profissionais dos serviços de saúde do município de São Francisco do Conde estiveram reunidos na sede do Pré-vestibular (PREVESF), com o objetivo de discutir o enfrentamento ao racismo institucional. Os mesmos atuam em diversos órgãos de saúde, tais como: Hospital, CRESAM e PSFs. Além disso, havia estudantes do curso de Serviço Social da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

O projeto intitulado “Orum Aiyê” é um estudo propositivo da UFRB em defesa da saúde da população negra do Recôncavo, que visa criar um grupo focal para discutir diversas questões acerca do racismo, bem como propor formas de melhorias do atendimento em saúde nos municípios.

Nossa meta é a prevenção e o combate a qualquer forma de violência e preconceito. Em julho, vamos realizar um seminário com os resultados preliminares da nossa pesquisa, na universidade, em Cachoeira. O intuito é fortalecer as secretarias e desenvolver ações para qualificar os serviços”, afirma a coordenadora do projeto da UFRB, Valéria Noronha.

Mais ações direcionadas à saúde da população negra

A Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) foi criada em 2006 e oficializada em 2009. Tem a finalidade de oferecer ao Sistema Único de Saúde (SUS) diretrizes para combater dois problemas: o racismo e as causas das altas taxas de adoecimento e morte da população negra. Outro marco nesse segmento foi a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial (Lei 12.288), em 2010, que inclui essa política em seu texto.