DSC_2531

Ainda em comemoração aos dias do Enfermeiro, Técnico em Enfermagem e Assistente Social, aconteceu nesta segunda-feira (20), no Centro de Referência à Saúde da Mulher (CRESAM), uma rodada de conversa sobre “Direitos da Mulher”. No evento, pacientes, estudantes de Serviço Social da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e profissionais de saúde abordaram temas como: a Lei Maria da Penha, acesso ao trabalho e direitos trabalhistas, autoestima, direitos políticos e à saúde, entre outros assuntos fundamentais para que as mulheres possam exigir seus direitos.

O dia começou com uma dinâmica sobre autoavaliação e, em seguida, o bate papo foi aberto pelas estudantes de Serviço Social que falaram, principalmente, sobre a Lei Maria da Penha, alertando que qualquer pessoa pode denunciar casos de agressão à mulher, à criança e ao idoso, através do disque 100 ou pelo 180. A doméstica, Luciana Pereira da Silva, revelou sua impressão sobre a Lei Maria da Penha: “A mulher precisa ser protegida. A maioria ainda não dá queixa e quando dá depois tira por medo de uma nova agressão. Se a mulher aceitar apanhar a primeira vez ela irá apanhar sempre”.

A coordenadora do projeto, professora Valéria Noronha, explicou que o objetivo de ações de educação como estas é desenvolver nas estudantes a vivência no serviço de saúde, fortalecendo o trabalho e formando profissionais aptas a lidar com as necessidades das pessoas. A atividade é uma ação da UFRB, através do Curso de Serviço Social, com a coordenação da professora Valéria Noronha e da Secretaria Municipal da Saúde (SESAU), através do Núcleo de Apoio à Pesquisa e Educação Permanente em Saúde (NAPEPS).