Abertura do I Seminário Internacional de Estudos Africanos aconteceu na última quarta (24)

A abertura do I Seminário Internacional de Estudos Africanos com o tema “Os estudos africanos na universidade: método e pesquisa” aconteceu na última quarta-feira (24), na UNILAB, Campus dos Malês, em São Francisco do Conde.

O evento que seguirá até o dia 26 de maio, marca a oficialização das atividades e da apresentação do Centro de Estudos Africanos e da Diáspora (Ceiáfrica/Malês) para a comunidade acadêmica. É um evento aberto à comunidade, sem a necessidade de inscrição prévia. Além disso, a ação abre espaço aos estudantes, com a proposta de debate sobre “Juventude, demografia e desenvolvimento em África”.

Para compor a mesa de abertura foram convidados professores, doutores, reitores e pesquisadores de referência nacional e internacional como o Prof. Dr. Gabriel Antônio Monteiro Fernandes – reitor da Universidade de Santiago (US), Cabo Verde, África Ocidental; a diretora da UNILAB, Campus dos Malês, Matilde Ribeiro; o diretor do Instituto de Humanidades e Letras da UNILAB, Maurílio Machado Júnior; o professor, doutor Jorge Pina Tavares da Ceiáfrica – UNILAB e Felipe Imídio Santos, pró-reitoria de Relações Institucionais da UNILAB.

O momento mais aguardado pelos estudantes e professores foi o pronunciamento do reitor da Universidade de Santiago, Gabriel Antônio Monteiro Fernandes, que na oportunidade discorreu sobre o contexto histórico, social e cultural de Cabo Verde através da educação. “Essa nova geração não pode ficar apática perante sua realidade sociocultural. Uma geração que não fique presa aos seus interesses midiáticos. É fundamental que os jovens de hoje retomem o processo emancipatório iniciado há vários anos por pessoas que de certa forma quiseram moldar a estrutura social condicionando o futuro e revertendo o destino. Porque o destino seria ele, de submissão total caso não houvesse contenção emancipatória, caso não houvesse resistência”, declarou Fernandes.

Iuri Santos Silva do Rosário, de 21 anos, estudante da UNILAB, falou sobre esse primeiro dia do Seminário. “Esse Seminário veio com uma proposta interessante, trazendo mais um pouco da África para dentro da comunidade estudantil e veio agregar além de valores, conhecimento sobre a África, trazendo palestrantes e professores de outras instituições. Esse Seminário vai além da comunidade estudantil, mas também agrega a comunidade externa, ainda mais agora que cresceu o número de estudantes aqui de São Francisco do Conde na instituição, o que acaba rompendo certos preconceitos e discriminação”, finalizou Rosário.