Agentes Comunitários de Saúde (ACS) vão entregar fichas em domicílio para ajudar na detecção de Hanseníase

São Francisco do Conde aderiu a uma campanha dos Governos Federal e Estadual, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SESAU), contra Hanseníase.

A meta é investigar os sinais e sintomas da hanseníase na população do município por meio da visita dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) nos domicílios e da distribuição de uma ficha de autoimagem, onde cada pessoas poderá relatar manchas na pele que não coçam, não doem e não são sensíveis ao calor e ao frio.

Se houver a suspeita da doença, os agentes do município vão marcar uma consulta com o médico da Unidade de Saúde da Família e, se necessário, com o infectologista que atende no Hospital Docente Assistencial Célia Almeida Lima. As visitas começam a acontecer nos bairros no mês de fevereiro, com a entrega da ficha de autoimagem e a orientação dos ACS.

A HANSENÍASE, conhecida antigamente como Lepra, é uma doença crônica, transmissível, que possui como agente transmissor o Mycobacterium leprae. Atinge principalmente a pele e nervos periféricos, o que lhe confere alto poder de causar incapacidades e deformidades físicas. A transmissão se dá pelas vias áreas superiores (tosse ou espirro), de uma pessoa doente sem tratamento, para outra, após um período de contato prolongado e contínuo.

No último dia do mês, 31 de janeiro, os Agentes Comunitários de Saúde – ACS receberam uma  capacitação sobre  Hanseníase com o objetivo de fazer uma busca ativa em seus territórios de pacientes acometidos, além de orientar quanto ao tratamento da doença.