Aula Inaugural do Curso de Formação em Língua Grega promoveu aprendizagem diferenciada em São Francisco do Conde

No último sábado, 02 de junho, aconteceu a Aula Inaugural do Curso de Formação em Língua Grega, realizado pela Prefeitura de São Francisco do Conde, através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Cidadania e Juventude – SDHCJ e em parceria com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB. O curso foi realizado na Escola Arlete Magalhães (antigo CEJAL), tendo, assim, o apoio da Secretaria Municipal da Educação – SEDUC também.

Com o objetivo formar alunos em línguas gregas, que sejam capazes de interpretar textos antigos, escritos originalmente nessa língua, a exemplo dos textos bíblicos, o curso também abre perspectivas para o desenvolvimento de uma formação que possibilite aos participantes um olhar crítico, tendo como um dos vieses, o fortalecimento para o combate à intolerância religiosa.

Mesmo com o tempo chuvoso, o primeiro dia de aula contou com participantes de diversos segmentos, entre os quais: pesquisadores, teólogos, universitários e muitos curiosos, além de seguidores da fé de diferentes religiões.

Para o Prof. Dr. Paulo Proença, da UNILAB, “o curso contribuirá para desfazer o mal-entendido a respeito da escritura da bíblia e de outros textos escritos originalmente em grego. Além disso, tal experiência possibilitará um momento rico, com troca de conhecimentos com a comunidade de São Francisco do Conde. A iniciativa é importante também no sentido de estreitar os vínculos entre a universidade e a comunidade e no entorno em que ela está plantada. Isso mostra que a comunidade está em estreita parceria com a universidade. A universidade não é aquele centro exclusivo de domínio do saber. O saber existe para ser partilhado, trocado e enriquecido com a comunidade, e que são, afinal, o objetivo alvo da nossa militância acadêmica. É isso que dá sentido e razão de ser aquilo que se faz na universidade, na academia”.

O gerente de Diversidade Religiosa, da SDHCJ, Gláucio Belo, confirmou que o curso atingiu um público diverso, além de ter um expressivo número de inscrições. “Conseguimos chegar ao público-alvo com inúmeros pastores, teólogos, católicos e membros do Candomblé, assim como outros jovens sem religião declarada. Para o primeiro dia foi um sucesso. Os alunos já saíram conhecendo o alfabeto grego e até lendo palavras em grego. Na verdade, leram-se já trinta palavras em grego”.

Também participaram da aula inaugural, a gerente de Direito e Igualdade da Mulher, Tatiane Santana; o diretor do Departamento de Atenção à Juventude, Joane Macieira, e o assistente técnico Rodrigo Costa – todos colaboradores da SDHCJ.

O Curso de Formação em Língua Grega acontece aos sábados, quinzenalmente, das 09h às 12h, na Escola Arlete Magalhães (antigo CEJAL). Os interessados ainda podem se inscrever, no período das 08:30h às 14h, na sede da SDHCJ, situada na Rua Ministro Bulcão Viana, nº 02, Centro. Ao final do curso, todos os participantes receberão certificado.