Autonomia, inclusão de todos, construção coletiva, respeito à diversidade e educação integral: princípios do Esporte Educacional

A Rede de Parceiros Multiplicadores do Esporte Educacional está presente em São Francisco do Conde desde agosto de 2018. Este é um projeto de parceria firmado entre a Prefeitura, através da Secretaria Municipal da Educação – SEDUC, e o Instituto Esporte Educacional, com o patrocínio da Petrobras. Nesta quinta-feira (11) aconteceu, no Auditório 02 de Julho/SEDUC, mais um encontro formativo da Rede, com a presença de gestores, coordenadores pedagógicos e professores de Educação Física.

Norteados por alguns dos princípios fundamentais do Esporte Educacional – inclusão, educação integral, autonomia, respeito à diversidade e construção coletiva – os participantes interagiram com a proposta dos jogos artesanais apresentada pela subcoordenadora do Instituto Esporte e Educação, Raquel Clementino. Raquel ensinou jogos como o do quarteto, que utiliza materiais recicláveis e o chão para riscar.

Como respeito à dimensão de diversidade, como falar de respeito ao gênero fazendo divisões nas aulas entre meninas e meninos? Não adianta ter discurso bonito e não ter respeito a todos, ser homofóbico”, pontuou Raquel.

Raquel também recomendou que os professores orientem seus alunos a guardarem os materiais utilizados depois da aula, ensinando um pouco sobre organização. “O conhecimento é de vocês, que irão carregá-lo pelo resto da vida, para onde vocês forem”.

Para o professor de Educação Física do Centro Educacional Claudionor Batista – CECBA, Michell Pita, “a maior valia é poder fazer essa formação e poder trazê-la para a minha prática, porque, muitas vezes, a gente faz cursos que não vemos aplicação em nossa realidade. A Rede de Parceiros tem grande valor para transformar minhas ações pedagógicas, tanto as teóricas como as práticas”.

De acordo com Michell, que se formou pela Universidade Federal da Bahia – UFBA, “percebi melhoria no trabalho em equipe entre os alunos. Essa também é uma oportunidade de equilibrar os mais habilidosos com os menos habilidosos nas práticas dos jogos, conseguindo aumentar a inclusão da diversidade”.

Durante a atividade, os participantes ainda aprenderam a elaborar um evento esportivo. “A ideia é que o evento seja uma estratégia de mobilização e integração da comunidade, com compreensão dos instrumentos de planejamento, realização e avaliação dos projetos. Para o instituto, um evento precisa integrar o processo de ensino-aprendizagem e deve fazer parte do planejamento”, declarou Raquel.

O próximo encontro da Rede de Parceiros Multiplicadores do Esporte Educacional será no dia 09 de maio, aonde os participantes apresentarão o primeiro seminário do curso. A formação tem duração de 2 anos, com 5 módulos por ano.