Certificação dos agricultores mostra o lado positivo do campo

No último dia 29 de agosto, cerca de 50 agricultores de São Francisco do Conde foram certificados em cursos voltados para o setor, tais quais: Liderar no Campo; Atender Bem no Campo; Custo para Produção no Campo; Formação de Preço; Empreender no Campo; Vender para o Governo e Cultivo da Mandioca. A ação da Prefeitura em parceria com órgãos do Governo do Estado foi uma iniciativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca – SEMAP realizada conjuntamente com o SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e o SENAR – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.

Para além do lado positivo que a agricultura familiar exibe na economia do país, a qualificação profissional trouxe mais entusiasmo para o campo, como definiu alguns participantes dos cursos. “O que eu mais gostei nesse curso foi que ele ensinou como cortar a manaíba [pedaço do caule da mandioca usado para muda], sobre como dava mais raízes. Agora, a gente planta menos e colhe mais”, relatou Antônia da Cruz, de Jabequara das Flores. Já Irenice do Nascimento, moradora da mesma localidade, definiu a oportunidade como uma “graça divina”. “Eu aprendi coisas que não sabia e agora vou conseguir desenvolver mais o meu cultivo. Isso foi uma bênção de Deus”. A colega Eliene do Nascimento dos Santos definiu a experiência como maravilhosa enquanto que Maria Benedita Cruz caracterizou a qualificação como “boa demais! Eu não sabia como trabalhar corretamente e passei a ter esse conhecimento. Quero agradecer a Deus e a vocês, também, pela oportunidade. Que cheguem mais cursos pra gente”, falou animada.

Em seu discurso, o secretário da pasta, Renato Costa Rosa, fez um passeio pela história local, relembrando que São Francisco do Conde já foi o 9º produtor de banana no estado da Bahia. Produziu também cana-de-açúcar e depois veio o refino do petróleo. Na oportunidade, ele debruçou sobre o cenário econômico atual e foi enfático em dizer que a “solução” do Brasil está no campo. “Nessa crise em que o país está, só o campo tem rendido frutos na balança comercial do país. Você extrai o minério e manda para fora, uma hora vai acabar, a lavoura não, vai se perpetuar. Você plantou, colheu e ela vai prosperar. A agricultura é quem salva o país. As exportações dos produtos da agricultura é que têm sustentado o país, porque se dependesse da indústria estaríamos ‘acabados’ e isso se comprova pela oscilação dos preços dos produtos. Sou uma entusiasta da agricultura e quero incentivar isso. Portanto, parabéns a todos vocês que realizaram os cursos, porque é um conhecimento que fica como herança para cada um”.

Para além do entusiasmo, Costa Rosa falou da perspectiva para o beneficiamento da mandioca, para que este venha, nas palavras do secretário, a “desaguar nas casas de farinha”, o que ficaria dependendo apenas do orçamento para se iniciar. Ele falou também sobre as demais ações de fortalecimento, como a Chamada Pública realizada recentemente pela Secretaria Municipal da Educação – SEDUC, no valor de R$ 275 mil, para aquisição de alimentos da agricultura familiar que serão utilizados na merenda escolar. Outro item lembrado pelo secretário foi a manutenção do programa Campo para Todos, que contribui com serviços gratuitos de aragem, gradeamento de terrenos, distribuição de sementes para o plantio e mecanização agrícola nas terras dos produtores rurais. Outra novidade é que, mediante uma parceria com a COELBA, o município vai receber 360 mudas de árvores frutíferas, pois a empresa precisará derrubar algumas árvores próximas às fiações elétricas.

Presente ao evento, a coordenadora do SETAF – Serviço Territorial de Agricultura Familiar, do Território da Região Metropolitana, Marinez Santos, revelou sua admiração com tudo que tinha visto. “Eu tô entusiasmada de estar participando desse primeiro ciclo. O trabalho em parceria produz e fortalece toda uma cultura. Pude também constatar que, diferente dos dados que são apresentados pelo IBGE, aqui, como em outras regiões do estado que temos caminhado, a agricultura familiar é forte”.

Além das pessoas supracitadas, vale ressaltar as presenças dos vereadores Edcarlos de Almeida Vasconcelos (Pita de Gal) e Renato Costa Rosa Junior, e dos demais agricultores presentes no evento: Elza Ventura dos Santos (Jabequara das Flores), Marise Santos, Marinalva Assis e Miralva Assis (todas três da Ilha das Fontes) e o presidente da Associação de Agricultores do Madruga, Anailton Massau.