Com a implantação do CODES no município, SEDEC visa trilhar estratégias para o desenvolvimento econômico da cidade de São Francisco do Conde

Os conselheiros de Desenvolvimento Econômico do município de São Francisco do Conde reuniram-se, na última quarta-feira (05), com o assessor Leonardo Leão, no prédio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico – SEDEC, para a implantação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia – CODES, no município, com o objetivo de propor políticas e diretrizes específicas, voltadas à promoção do desenvolvimento econômico e social do estado da Bahia, produzindo indicações normativas, propostas políticas e acordos de procedimento com vistas a articulação das relações de governo com representantes da sociedade civil orgânica para São Francisco do Conde.

O colaborador Leonardo Leão orientou sobre a importância do conselho para o desenvolvimento do município, com o intuito de identificar as problemáticas. Para ele, a construção de um grupo estratégico facilita na solução das dificuldades econômicas. “A ideia do conselho é o diálogo e hoje estamos aqui para orientá-los sobre de que forma o conselho pode ser usado pela Prefeitura, para apontar caminhos para o desenvolvimento do município”, revelou Leonardo.

A reunião contou com a presença de 15 conselheiros, que elegeram a mesa diretora, nomeando Elton Ferreira como representante do governo municipal, Cícero Ferreira Lima representando os empresários e Mari Lúcia representante da sociedade civil.

Logo depois, a secretária Ana Christina de Oliveira se reuniu com a diretora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB, Miriam Rios,e também o assessor Leonardo Leão, para discutir as necessidades de buscar políticas alternativas de intervenções. Uma das pautas discutidas foram a importância de implantação do CODES no município e uma das causas que mais tem gerado preocupação quanto ao desfecho baseia-se no Plano de Venda da Refinaria Landulpho Alves – RLAM, o maior fundo de arrecadação financeira de São Francisco do Conde. Com a venda da refinaria, a cidade sofrerá um grande impacto no que tange à economia local. “A privatização da RLAM, sem que nós conheçamos o Plano de Venda, deixao município a mercê do que possa vir a acontecer, pois perderemos de vez o espaço de empregabilidade na área industrial. A gente perde aquilo que atraímos de recursos, e empresas que se instalariam ao redor da área industrial”,declarou a secretária de Desenvolvimento Econômico Ana Christina.

A secretária afirmou que houve falta de políticas públicas que pudessem prever essa situação, e com isso não  nenhum direcionamento que possa resolver ou reparar esse impacto da venda. “Mais do que urgente, é necessário construir parcerias entre o município, estado e todos os entes políticos para buscar estratégias de criação de novos caminhos, e buscar soluções para os problemas mais sérios”, completou.

Com o anúncio dos contingenciamentos no orçamento das universidades públicas, declarado pelo Ministério da Educação – MEC, no começo de abril, a UNILAB também foi destaque durante as discussõesO Campus dos Malês possui apenas 05 anos de atividade no município e será extremamente afetada com os cortes do Governo Federal. “Precisávamos introduzir a UNILAB nas discussões do CODES, que busca soluções em todas as áreas. Iremos cercar a nossa universidade de todas as condições para poder brigar por essa expansão da UNILAB, aqui na cidade, pois ela é muito importante para o nosso município”, afirmou Oliveira.

No decorrer do encontro, a secretária de Desenvolvimento Econômico juntamente com oConselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia – CODES iniciaram um processo de construção de estratégias para o desenvolvimento econômico do município de São Francisco do Conde.