Defesa Civil de São Francisco do Conde participa do I Encontro Estadual de Proteção e Defesa Civil

 

Representantes da Defesa Civil de São Francisco do Conde participaram do I Encontro Estadual de Proteção e Defesa Civil, com o tema: “Construindo uma Bahia Resiliente”, promovido pela Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil, nos dias 13 e 14 de novembro, em Salvador.

O encontro reuniu prefeitos, secretários e coordenadores municipais de Proteção e Defesa Civil de mais de 100 municípios da Bahia, com o objetivo de discutir e propor ações para os municípios, o Estado e Governo Federal.

Na ocasião, também estiveram representando o município de São Francisco do Conde o coordenador da Defesa Civil, Hebert Ruy Oliveira, o vice-coordenador, Francisco de Assis Ferreira Silva, o secretário executivo, Luís Carlos Bispo e o engenheiro de Segurança, Cleidson Sousa.

Esse evento tem uma importância muito grande, pois proporciona uma integração entre os municípios, o Estado e o Governo Federal em busca de recursos, desenvolvimento, estratégias e planos de ação, principalmente nos períodos mais críticos, como a seca e o excesso de chuvas. Nesse sentido, estamos buscando agregar esses municípios para que possamos nos tornar ainda mais fortes e garantir segurança à população”, salientou o coordenador da Defesa Civil de São Francisco do Conde, Hebert Ruy Oliveira.

No decorrer do encontro foram discutidos relevantes assuntos pertinentes às atribuições da Defesa Civil. Foram realizados debates sobre a necessidade da liberação imediata de recursos federais para o desenvolvimento de ações emergenciais  de convivência com a seca e a estiagem prologada, objetivando o abastecimento de água potável para consumo humano.

É importante ressaltar que, atualmente, mais da metade dos municípios baianos estão em situação de emergência reconhecido pela Defesa Civil Nacional.

Também foi discutida a necessidade de revisão dos conceitos nacionais para enfrentamento ao desastre da seca/estiagem, tendo em vista que ações preventivas neste campo de atuação são fundamentais, logo, realizar através da Defesa Civil a limpeza, ampliação e construção de aguadas, a perfuração e instalação de poços artesianos e a ampliação dos sistemas de abastecimentos  de água nas localidades afetadas.

Outra questão pautada no encontro se refere a OCP (Operação Carro Pipa), administrada pelo Exército, onde foi discutido a necessidade de ampliação do programa, visando um atendimento melhor as comunidades afetadas. Outro ponto muito importante neste tema é a autonomia da Defesa Civil Municipal no processo de escolha dos Pontos para distribuição de água potável, cabendo aos municípios a indicação e a garantia das distâncias considerando a realidade local e as necessidades conhecidas com Elaboração do Plano de Distribuição.

Nesse sentido, os municípios apresentaram a necessidade urgente de criação de um programa de liberação de recursos objetivando a elaboração do Mapeamento de Riscos e Planos de Contingências, visando melhor preparação para as ações de resposta na ocorrência de eventos adversos.

Na oportunidade, também foi aprovado a criação de um processo de articulação no âmbito Federal, Estadual e Municipal para Proteção e Defesa Civil objetivando a integração real com outras instituições, com o desenvolvimento de propostas locais e regionais para prevenção, mitigação, resposta e reconstrução. Procurando criar protocolos, Sistema de Comandos de Incidentes, além de alocação de recursos para capacitações e realização de obras estruturais nas comunidades.