Dia da Consciência Negra é celebrado nas creches e escolas do município

Hoje, 20 de novembro, é o Dia da Consciência Negra. Comemorado desde 2003 como efeméride incluída no calendário escolar, as creches e escolas da rede municipal de ensino prepararam programações especiais para celebração deste importante momento.
Uma efeméride significa a comemoração de um acontecimento importante. Em 2011,  ela foi instituída em âmbito nacional mediante a lei nº 12.519, tornando-se feriado em mil cidades brasileiras e nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio de Janeiro, por meio de decretos estaduais.
Nas atividades realizadas nas unidades escolares franciscanas, destacou-se a valorização da cultura e da beleza negra, em uma programação que visou aumentar a autoestima e a destacar a importância do negro na história brasileira.
A Escola Municipal João Seabra promoveu um desfile que elegeu o Rei e a Rainha do Ébano. Sob o lema: “Por um mundo em que o amor seja mais importante e que possamos ser quem realmente somos”, os alunos, professores e funcionários da Tio Cláudio saborearam um apetitoso acarajé, o famoso bolinho de feijão fradinho que no continente africano é conhecido como akara.
Já na Creche Isidória Borges, a celebração teve o ponto alto com uma roda de capoeira, um mix de arte marcial, esporte, cultura popular, dança e música. A capoeira é essencialmente brasileira e foi criada por descendentes de escravos africanos.
Segundo Jouse de Jesus Santos, gestora da Creche Escola O Girassol, ela e a coordenadora pedagógica Silvia Caldeira organizaram “uma semana inteira de atividades voltadas à Consciência Negra. Hoje, realizamos uma oficina de turbantes e desfile das crianças ao som de músicas de origem africana”.
A data do dia 20 de novembro foi a escolhida para se comemorar a Consciência Negra por coincidir com a da morte do líder negro Zumbi dos Palmares, em 1695. Zumbi foi o principal representante da resistência negra à escravidão no período do Brasil Colonial.