Direitos Humanos, Cidadania e Juventude promoveu diálogos formativos com servidores municipais

 

A Prefeitura de São Francisco do Conde, através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Cidadania e Juventude (SDHCJ), por meio do Departamento de Promoção à Igualdade (DEPI), realizou na manhã desta segunda-feira (19), na Escola Arlete Magalhães (antigo CEJAL), mais uma ação da “Caravana da Reparação: Diálogos Formativos”.

Essa iniciativa tem como proposta formar, sensibilizar e divulgar conhecimentos, atitudes, posturas e valores que promovam, junto ao município, com seus gestores e técnicos, bem como toda sociedade civil, diálogos quanto ao racismo institucional, intolerância religiosa, assédio, homofobia, gênero e sexualidade.

O secretário de Direitos Humanos, Cidadania e Juventude, de São Francisco do Conde, Márcio Junqueira, na oportunidade, ressaltou o objetivo do projeto e salientou o compromisso da secretaria. “A Constituição diz que todos somos iguais perante a lei. O nosso papel enquanto Secretaria de Direitos Humanos, Cidadania e Juventude é trazer essa consciência para o cidadão e servidores públicos para que se tornem multiplicadores do respeito ao indivíduo. A gestão tem sensibilidade em promover ações como essa, entendendo a pluralidade do nosso município e, sobretudo, respeitando o indivíduo enquanto ser humano”.

Esse também é o sentimento do diretor de Projetos, da Secretaria da Educação, Luan Santos, que participou da ação. “O poder público preparar, qualificar os servidores para lidar com a diversidade, com a pluralidade de pessoas que existem no nosso município, é um passo muito importante, pois, desta forma, surge o entendimento que nós não temos um único perfil de cidadão. Nós temos diversos gêneros com suas peculiaridades que são características próprias do ser humano. Isso mostra que o cuidado da gestão é cuidar de gente, seja gay, hétero, branco, negro, índio… o cuidado maior é com o ser humano”.

Na oportunidade, foram apresentadas as diretoras da SDHJ, que puderam discorrer sobre o trabalho desenvolvido através dos seus departamentos. A coordenadora técnica de Inovação e Fomento à Economia Solidária, Juci Santana, promoveu uma dinâmica com o público sobre as variadas formas de preconceito.

Quem também contribuiu muito para o diálogo foi o bacharel em Humanidades, graduando em Pedagogia, Ícaro Amâncio, que discorreu sobre questões de identidade de gênero, sexualidade, respeito, diretos, dentre outros contextos sociais. O gerente de Diversidade Religiosa, da Secretaria de Direitos Humanos, Cidadania e Juventude, Gláucio Belo, também falou sobre intolerância religiosa e o respeito ao indivíduo.