Emoção e reconhecimento marcam o lançamento do livro “São Bento – Conversando com sua História, do Projeto “Trilhando na Cultura”

Na última sexta-feira (15) aconteceu em São Francisco do Conde, no bairro de São Bento, o lançamento do livro “São Bento – Conversando com sua História, do Projeto “Trilhando na Cultura“.

Trata-se de um projeto de iniciativa popular, onde moradores, em sua maioria do bairro de São Bento, tais quais Uesclei Silva, Naiane Jesus Pinto, Márcia Costa Vieira, Ilze Joane Gomes, Ana Cláudia Santana e Adilene Moreira, se reuniram e idealizaram o projeto “Trilhar na Comunidade”, que teve o seu título ramificado para o projeto “Trilhando na Cultura”, com o intuito de participar do Edital Cultura Mais – uma iniciativa da Prefeitura, realizada através da Secretaria Municipal de Cultura (SECULT).

Por meio do edital e com o patrocínio do Fundo Municipal de Cultura, foi possível concretizar esse projeto por meio da escrita e da criação do livro que foi escrito e ilustrado por 17 crianças da comunidade de São Bento. Crianças entre 10 e 14 anos de idade que  se dedicaram durante três meses para a criação do livro.

Tudo começou com a iniciativa dessas pessoas da comunidade, um projeto construído dentro na minha casa, que tinha como objetivo contar a história da nossa comunidade sob o olhar de quem vive aqui. Nessa perspectiva, contamos essas histórias para as crianças e elas recontaram através de cordéis e contos. O resultado disso foi esse livreto que conta a história do bairro, esse celeiro cultural da nossa cidade. Todos os bairros do nosso município têm a sua história e precisamos valorizar a nossa identidade. A história oficial não é o que dizem pra gente, mas a que nós escrevemos“, destacou Naiane Jesus Pinto, uma das idealizadoras do projeto.  

É preciso cuidar da nossa história para que sejam perpetuadas as nossas tradições. São Bento é um celeiro cultural, assim como toda São Francisco do Conde, e nós não podemos deixar que essa história se perca com o tempo”, ressaltou muito emocionada a proponente do projeto, Márcia Costa Vieira, que, na oportunidade, falou com amor sobre a comunidade, o projeto e declamou poemas. 

O secretário de Cultura, Osman Ramos, esteve presente na ação, enfatizou a importância do projeto e parabenizou todos os envolvidos. “Parabenizo a cada pessoa que fez parte desse belíssimo projeto. São Bento é um celeiro da cultura do nosso município e esse momento é muito especial para todos nós. Não podemos deixar que a nossa tradição se perca ao longo do tempo e, é nesse sentido, que a Secretaria de Cultura tem trabalhado incessantemente, para valorizar e preservar as nossas tradições. O livro ‘São Bento – Conversando com sua História’ representa o pertencimento da identidade cultural do que é ser franciscano. São 55 páginas que retratam a história de um povo forte e que se orgulha de ser quem é. Que se orgulha da sua cultura, dos seus contos, suas lendas, sua natureza e arquitetura, que tanto contribuiu para a construção e consolidação da história da Bahia e do Brasil“, destacou o gestor da pasta de Cultura.

A jovem Rebeca, de 11 anos, uma das 17 crianças que participaram do projeto, falou sobre essa experiência. “Participar da criação desse livro foi muito bom, porque fala sobre a história na minha comunidade. Eu pude aprender sobre os lugares aqui do bairro, o Cais, a Escola Agrícola e tantos outros. Fico orgulhosa em poder contribuir na contação dessas histórias e quero que projetos como esse continuem porque eu aprendi muito“, destacou.  

Neste dia memorável para São Francisco do Conde, em especial para os moradores de São Bento, que foi a grande homenageada dessa iniciativa, a exemplo do fazedor de cultura,  o Sr. Feliciano dos Santos (Bumba-meu-boi e Capoeira), além do grupo teatral “A Ponte é Comum”, marisqueiras e pescadores locais. 

Na ocasião, outro morador da comunidade mais conhecido como “Paulinho Rasta”, também foi homenageado pela sua história de luta, valorização e perpetuação da cultura local com o “Samba Corrido”. “Faço um trabalho com amor e luto para perpetuar nossas tradições. Esse é um momento muito importante e estou muito  emocionado pela homenagem e todas as palavras que aqui foram ditas por todos e pelo reconhecimento“. 

Ao final do lançamento e após declamarem seus poemas e cordéis, as crianças autografaram os livros com muita alegria. Cheios de orgulho, os pais acompanharam de perto esse momento tão especial.