I Seminário de Práticas Exitosas da Coordenação Pedagógica promoveu formação continuada, visando a melhoria do ensino e aprendizagem na Rede Municipal de Ensino de São Francisco do Conde

Com o objetivo de socializar práticas pedagógicas exitosas da coordenação pedagógica dos Anos Finais, tendo em vista a qualificação dos professores da Rede Municipal de Ensino e a aprendizagem dos estudantes, foi realizado o I Seminário de Práticas Exitosas da Coordenação Pedagógica. A atividade, voltada para gestores escolares e coordenadores pedagógicos, aconteceu na sede da Secretaria Municipal da Educação – SEDUC, na última terça-feira (30).

A programação da atividade incluiu uma mesa de abertura com o tema “A gerência dos Anos Finais e o trabalho de formação no interior das unidades escolares”; a conferência “A escuta do saber-fazer do coordenador pedagógico pelo professor dos Anos Finais do Ensino Fundamental: relatos de uma pesquisa”, proferida pela Dra. Poliana Marina Mascarenhas de Santana Magalhães; e os painéis temáticos “Quem forma o formador? Processos de (auto)formação da coordenação pedagógica”; “A pesquisa como aliada da formação e desenvolvimento profissional do coordenador pedagógico: uma prática possível” (conduzido por Jefferson Moreira) e “A pesquisa na formação e na prática dos professores” (com Marli André).

Quem somos nós? Como a gente se faz? Que tipo de coordenador eu sou? Como eu penso o processo de ensinar e aprender? Essas foram algumas perguntas levantadas pela Dra. Poliana Marina, respondidas ao longo de sua fala. Ela mencionou o livro “A prática educativa: saberes necessários ao fazer pedagógico” como uma obra de cabeceira para todo coordenador pedagógico. Sobre sua conferência, a Dra. Poliana disse que “a intenção foi socializar uma pesquisa com professores dos Anos Finais sobre o fazer do coordenador e fazer com que esses profissionais refletissem sobre o seu papel na escola, que é promover a formação docente para fazer uma educação mais qualificada. Pensar esse fazer para que a educação possa ser sempre melhorada”.

seminário é o resultado de uma prática que está sendo realizada nas escolas em busca da melhoria da qualidade do processo do ensino e aprendizagem”, destacou o gerente de Anos Finais, Jeferson Moreira. De acordo com a diretora pedagógica da SEDUC, Cristiana Ferreira, “a importância desta atividade é em função da troca entre as unidades escolares, para a gente evidenciar as ações exitosas que as escolas estão fazendo – os coordenadores pedagógicos junto com os gestores – o que vai validando essas ações e fortalecendo o processo de ensino e aprendizagem, principalmente no Ensino Fundamental dos Anos Finais, fazendo essa integração com os professores para fazer o processo formativo. Isso fortalece a ação do coordenador pedagógico e, consequentemente, a aprendizagem dos nossos alunos”.

Cristiana também explicou que esse processo de ensino e aprendizagem é uma ação conjunta entre professor, coordenador pedagógico e gestores escolares e que a principal função do coordenador pedagógico é cuidar da formação dos professores, “essa é a grande questão!”, pontuou. “Todo mundo precisa estar no meio do processo porque o nosso principal objetivo é a aprendizagem.

Ainda na programação, aconteceram Relatos de Experiências das escolas municipais Joaquim Alves Cruz Rios, Centro de Estudos e Aperfeiçoamento do Saber, Centro Educacional Claudionor Batista e Instituto Municipal Luís Viana Neto. A equipe do Instituto trouxe o caso do Concurso de Redação realizado pela Câmara Municipal de Vereadores em parceria com a SEDUC, cuja temática foi a participação franciscana nas lutas pela Independência da Bahia no Brasil. “Todos os alunos do Instituto querem participar do Concurso de Redação. O domínio da escrita e o interesse por conhecer a própria história instiga o aluno”, relatou o gestor Alcimar dos Santos.

Segundo o professor Alan, “nós recebemos e trocamos informações para elaborar um material paradidático, trabalhamos com vídeos, aproveitamos o trabalho do VoArte para elaborarmos mapas sobre a movimentação das tropas. Ao longo dos conteúdos em sala de aula começamos a tratar dessa história, com personagens históricos de São Francisco do Conde. O resultado foi o conhecimento e a valorização da história local, com o fortalecimento da autoestima, amadurecimento da equipe do Instituto e o desenvolvimento da competência escritora dos alunos”.

Para a coordenadora pedagógica do CEAS, Antônia Marguirete da Silva, “a formação continuada é extremamente necessária porque a cada encontro temos um momento para repensarmos a nossa prática e, a partir desses debates, sairmos com outras ideias e outro olhar do nosso fazer com os professores. É mais do que importante, é necessária”, reforçou. “Nós somos formadores desses professores!”.

Já para a coordenadora pedagógica do Instituto, Marialva Soares, “tudo se passa na forma como o coordenador conduz a relação. É preciso se despir das vaidades e mostrar que você não está ali para quebra de braço, mas para colaborar junto pelo objetivo último, que é o aprendizado do aluno”. Ela ainda disse que “hoje conseguimos perceber na rede a ideia de pertencimento, que traz uma melhora na prática”, ao passo em que Cristiana Ferreira complementou que “tem muita gente boa querendo acertar, estudando muito e querendo contribuir com a Rede Municipal de Ensino de São Francisco do Conde”.

A gestora do CECBA, Lélia Alves, fez uma colocação em que valorizou a necessidade de uma conversa individual da direção da escola com o professor “para que se estabeleça um conhecimento melhor entre ambos, com troca de experiências. Tenho ficado surpresa com muitos professores nessas conversas! Assim, a gente tem crescido e fortalecido a prática na escola. Além de ouvir os coordenadores, é preciso que o gestor tenha uma escuta sensível ao professor. Ouvir o profissional é fundamental para que a gente avance”.