Método do comitê britânico, das Olimpíadas de Londres, é compartilhado com profissionais da Rede Municipal de Ensino

Mais um módulo da Rede de Parceiros Multiplicadores do Esporte Educacional foi trabalhado com profissionais da Rede Municipal de Ensino de São Francisco do Conde. Ontem (07), no Auditório 02 de Julho/SEDUC, a formação de liderança juvenil foi um dos temas abordados pela equipe do Instituto Esporte e Educação, idealizado pela medalhista olímpica do vôlei brasileiro, Ana Moser.

A Rede de Parceiros Multiplicadores do Esporte Educacional é uma parceria com a Prefeitura de São Francisco do Conde, através da Secretaria Municipal da Educação (SEDUC). Raquel Clementino, subgerente do Instituto Esporte e Educação, comentou que o conteúdo da formação era bastante significativo, sobretudo por ser ministrado pelo ex-aluno, estagiário, professor e, atualmente, também responsável pela formação de professores do instituto, Jefferson Gomes. “Ele é a própria vivência do projeto”, exprimiu.

Fui procurar um local onde pudesse praticar esporte, quando eu era mais novo, mas não encontrava um espaço que me aceitasse, pois todos só queriam pessoas de elite”, disse Jefferson. Segundo ele, o acolhimento que precisava, recebeu do Instituto Esporte e Educação, que abria espaço para todos. “Independente de estatura física. Lá também aprendi noções e princípios que vão além do esporte, para a vida, complementou.

Os saberes e fazeres compartilhados com os profissionais da rede são um legado das Olimpíadas de Londres, de 2012. “Fomos formados pelo representante do Conselho Britânico”, informou o subcoordenador do instituto. O objetivo da abordagem é despertar noções protagonistas dentro da escola, com os alunos, em menos tempo do que o que ocorre na formação dos grêmios estudantis.

Participaram do encontro formativo, gestores escolares, coordenadores pedagógicos e professores de Educação Física das escolas Joaquim Alves Cruz Rios, Maria Amélia Santos, Arlete Magalhães, Monteiro Lobato, Complexo Rilza Valentim, Centro Educacional Claudionor Batista – CECBA, Instituto Municipal Luiz Viana Neto – IMLVN, Centro de Estudos e Aperfeiçoamento do Saber – CEAS, além de profissionais da APAE e do PROAP.

Como ter liderança nos trabalhos em grupo, organização de eventos, respeito às diferenças culturais, ações cidadãs, questões éticas e valores foram alguns dos conhecimentos que serão multiplicados entre os estudantes. “Centralizando o método no aluno. O aluno como centro do aprendizado. Através de conteúdos práticos, como bingo intercultural, caminhos das pedras, máquina de saltar, dentre outros, é possível desenvolver desde a Educação Infantil até o 9° ano”, finalizou Jefferson.