Oficinas do Plano Municipal de Saneamento Básico foram realizadas nesta quarta-feira (21), no Caípe de Baixo

As Oficinas do Plano Municipal de Saneamento Básico tiveram continuidade na manhã desta quarta-feira (21). O evento foi realizado no anexo do Colégio Estadual Anna Junqueira Ayres Tourinho – CEAJAT, no bairro do Caípe de Baixo, para os moradores da Muribeca, Caípe de Baixo, Caípe de Cima, Mataripe, Ponta do Ferrolho, Santo Estevão (Ponta, Ilhote e Coqueiro), Engenho de Baixo, Ilha das Fontes, Ilha do Pati e Bimbarras.

As Oficinas do Plano Municipal de Saneamento Básico é uma realização da Prefeitura de São Francisco do Conde, através da Secretaria Municipal de Serviços, Conservação e Ordem Pública – SESCOP, por meio da coordenação do Plano de Saneamento Básico e do Plano de Resíduos Sólidos – órgão ligado a SESCOP, para toda comunidade franciscana, com o intuito de tratar sobre temas referentes aos programas, projetos e ações do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) do município.

Nesta quarta-feira, a oficina foi ministrada por Eduardo Loureiro e Soraia de Cássia Alves Hohlemverger, engenheiros sanitaristas da RK Engenharia, empresa que ganhou o certame para realização do Plano de Saneamento Básico do município.

Desta vez, a oficina teve como público alvo os coordenadores regionais, Associação de Artesanato do Caípe e a população em geral. Foram ouvidas as observações e as propostas dos coordenadores e da população.

Plano Municipal de Saneamento Básico

A elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico é um requisito para aquisição de verbas para obras de saneamento. Ele deve ser elaborado por todas as prefeituras municipais do país e aprovado pelo Governo Federal para que as prefeituras possam receber essas verbas.

O plano abrange quatro áreas: serviços de água, esgotos, resíduos sólidos e drenagem das águas pluviais urbanas. E ainda deve garantir a promoção da segurança hídrica, prevenção de doenças, redução das desigualdades sociais, preservação do meio ambiente, desenvolvimento econômico do município, ocupação adequada do solo, e a prevenção de acidentes ambientais e eventos como enchentes, falta de água e poluição.