Palestra do SEBRAE sobre formação de preço abriu perspectiva para reajustes financeiros no comércio local

Com o propósito de contribuir para o fortalecimento do 3° Setor e de novos empreendedores, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico criou o projeto SEDEC e Você. Com o projeto, uma série de atividades está programada para acontecer ao longo dos meses de setembro e outubro de 2017.

Nesta terça-feira, 12 de setembro, “Como Formar Preço de Venda” foi o tema da palestra ministrada pelo consultor do SEBRAE, Roberto Amoedo, ocorrida no auditório do SINDSEFRAN, localizado na Rua Ministro Bulcão Viana, Centro de São Francisco do Conde. Cerca de 40 empresários, comerciantes locais e potenciais empreendedores participaram do encontro.

Ter controles financeiros básicos, que seriam os relacionados às contas a receber e contas a pagar, fazer registro da entrada e saída de recursos, que seria o fluxo de caixa, e identificar os custos variáveis e fixos da empresa, para que, com base nessas informações, se possa calcular preço de venda para, então, tomar decisões sobre qual preço pode vender, levando ainda em consideração o mercado e seus concorrentes, são as principais dicas para se obter um bom resultado na formação do preço”, ressaltou o consultor Roberto Amoedo.

Atento às informações, Marcelo Alves de Souza, dono da Farmácia Popular, disse que já pretende aplicar os conhecimentos no seu negócio. “São informações técnicas que, muitas vezes, nós que estamos lá na ponta, não temos o devido conhecimento e ações como essas nos ajudam a desenvolver mais o nosso negócio, para que possamos prestar um melhor serviço, seja na questão de preço como também no atendimento ao público. Sendo assim, já pretendo realizar algumas mudanças para obter melhores resultados”, destaca o empresário.

Uma das dúvidas apontadas pelos participantes foi com relação ao fiado. Prática, esta, recorrente em pequenas cidades, como apontou Amoedo. “Rodando o interior da Bahia, eu já venho percebendo que o fiado é costume. Só que o fiado não tem garantia de recebimento da venda e não tem como pegar o nome do devedor e jogar no SPC, SERASA ou tentar vias normais e formais de receber esse dinheiro, é perigoso. É preciso que se tenha o controle de contas a receber. Tendo esse controle, o empreendedor perceberá a quem costuma dar fiado e se a pessoa costuma pagar corretamente, honrar seus compromissos no prazo. Caso não, é preciso separar o joio do trigo, permanecer com o fiado somente entre aquelas pessoas que efetivamente pagam. Aos que não honram seus compromissos, oferecer cartões de débito, cartão de crédito, enfim, porque, praticamente, todo mundo tem acesso ao cartão de crédito. Essa é uma forma de tentar amenizar esse prejuízo, porque vender fiado e não receber é prejuízo dobrado”.

A massoterapeuta Gilseline Santos de Assis, que é uma potencial empreendedora em São Francisco do Conde, concorda e se diz gratificada pela oficina, pois irá ajuda-la na questão organizacional dos gastos. “A gente ainda fica um pouco perdida diante dos gastos variáveis e fixos que se têm, mas esse momento foi enriquecedor. A partir de hoje, já dá pra fazer essa separação e formar um preço para os serviços que oferto, de forma que venha a atrair mais clientes, construir ações promocionais e obter lucro, sem deixar de lado o meu aperfeiçoamento profissional e o favorecimento dos clientes”, avalia.

Ao longo da atividade foram realizadas intervenções, por parte do público, na tentativa de esclarecer dúvidas. Entre as abordagens da palestra estiveram: controle financeiro básico, margem de contribuição, gastos variáveis e fixos, markup – que é a taxa calculada sobre o custo do produto, ponto de equilíbrio operacional, lucro, entre outros.

A próxima palestra da programação do SEDEC e Você ocorrerá dia 14 de setembro, quinta-feira, no mesmo local, das 09h às 11h, tendo como abordagem “Acesso ao Crédito”. A palestra será ministrada por um consultor do Banco do Brasil e é gratuita.