Prefeitura de São Francisco do Conde se reuniu com Associação de Trabalhadores Desempregados

encontro no gabinete 1

O prefeito de São Francisco do Conde, Evandro Almeida, se reuniu com representantes da Associação dos Trabalhadores Desempregados e Autônomos de São Francisco do Conde (ATRADASFC), na manhã desta quarta-feira (24), para discutir as reivindicações da associação quanto às oportunidades de emprego na refinaria Landulfo Alves.

Participaram da reunião no gabinete representantes também das comunidades da Pitangueira, Coroado, Macaco, Gurugé, São Bento, Monte, Campinas, Madruga, Baixa Fria, Jabequara, Drena e Nova São Francisco.

Dentre as reivindicações estavam: empregos nas empresas que prestam serviços para a Petrobras; que as empresas que venham a se instalar na cidade ao pegar o alvará de funcionamento disponibilizem, em contrapartida, algumas vagas para a associação encaminhar profissionais; que a Prefeitura ajude a associação na construção de uma sede, pois eles não têm espaço físico para atender aos profissionais; trazer para o município o QSMS curso de Qualidade Segurança Meio Ambiente e Saúde, que é exigido para que o mesmo ocupe uma vaga na refinaria; a aprovação de uma lei para que no dia 1º de maio (Dia do Trabalhador) os profissionais possam ter de fato homenagens e atividades voltadas para eles no município e a qualificação dos desempregados, para que tenham condições de concorrer as vagas de emprego.

“Nosso objetivo é somar, queremos empregar o povo de São Francisco na sua própria cidade. Com isso, a lei orgânica precisa ser cumprida e as empresas que vem para o município tem que disponibilizar vagas para nosso povo. Dessa forma, a gente desafoga a demanda também na Prefeitura, porque sabemos que não tem como a Prefeitura empregar todo mundo. Então vamos buscar a parceria dessas empresas que aqui se instalam”, destacou o presidente da ATRADASFC, Israel Barbosa.

O prefeito, Evandro Almeida, parabenizou os trabalhadores pela iniciativa da associação e ressaltou que desde o ano passado vem sendo realizadas reuniões com as empresas a fim de exigir uma contrapartida para o município com a oferta de vagas para os franciscanos: “Já estabelecemos diálogos com a refinaria e estamos buscando essas vagas. Mas precisamos também quebrar a imagem que temos fora daqui, porque muitas empresas não querem contratar os nossos profissionais porque antigamente eles não se comprometiam e acabavam parando os trabalhos. Precisamos mudar essa imagem”, enfatizou Almeida.

As empresas que prestam serviços na região já foram chamadas ao diálogo com a Prefeitura e ficou acordado que definiriam a quantidade de vagas a ser disponibilizada para os profissionais de São Francisco do Conde. Além disso, a Prefeitura está buscando convênio com empresas de fora para que os profissionais do município também possam ocupar vagas em paradas fora do estado da Bahia.