Primeiro encontro de formação de multiplicadores do programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos mobiliza profissionais da Rede Municipal de Ensino

Na última segunda-feira (12), aconteceu no auditório 02 de Julho/SEDUC, o primeiro dia de formação com professores multiplicadores do programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos – JEPP. A ação é fruto de uma parceria entre a Prefeitura de São Francisco do Conde e o SEBRAE, através da iniciativa Cidade Empreendedora, que visa melhorar o ambiente de negócios nos municípios brasileiros, por meio de uma série de ações.

Ministrado pelo professor e coach Me. Anailton dos Anjos, a primeira etapa do curso está sendo realizada com professores do Instituto Municipal Luiz Viana Neto e do Centro Educacional Claudionor Batista. Os próximos encontros acontecerão nos dias 15, 19 e 22 de agosto, com foco em estratégias de ensino que estimulem os participantes a pensarem e agirem de forma empreendedora.

Todo o conhecimento adquirido pelos professores durante os encontros será multiplicado com os alunos, em um segundo momento. “Que eu veja nesse menino um grande potencial e o ajude se ver como empreendedor da própria carreira”, declarou Anailton.

No instituto, os alunos da Educação de Jovens e Adultos – EJA serão os primeiros a serem contemplados com a ação. “A gente pretende plantar sonhos. Essa é uma outra forma de dar um gás para a EJA e esse fazer é um desafio muito grande. A perspectiva de empreendedorismo vem em um horizonte de sonhos e de futuro. Empreender é aprender para a vida”, declarou a diretora pedagógica da SEDUC, Cristiana Ferreira, em sua fala de apresentação.

Identificar as características de um empreendedor e elaborar o Plano de Negócios são algumas das aprendizagens que iremos ter. Muitas vezes nossos empreendimentos pessoais não dão certo por causa da falta do espírito empreendedor”, disse o prof. Anailton. “Tudo o que estamos fazendo com vocês aqui é o que vocês irão fazer com os alunos, quando forem atuar como multiplicadores”, considerou.

De acordo com a professora de LIBRAS da EJA, Roseane Reis, “alguns alunos já comercializam alguns produtos, a exemplo de geladinho, mas eles não encaram como um negócio, por isso é preciso provocar nos estudantes o estímulo para profissionalizarem o que eles já fazem, despertando neles esse espírito empreendedor”.

No início da atividade, foi selado um contrato com os participantes da formação, com determinações que visam extrair o máximo do curso, tais como: pontualidade, comprometimento, respeito a opinião do outro, limite no uso de celular, restrição de conversas paralelas, dedicação e concentração. “O empreendedor trabalha com objetivos e metas. Ele não faz nada aleatoriamente. Ele sabe o que quer e aonde quer chegar, por isso ele traça algumas estratégias”, explicou Anailton.

Uma das características da formação é o Ciclo de Aprendizagens Vivenciais – CAV que propõe a verbalização das experiências vivenciadas no curso. Segundo Anailton dos Anjos, “é necessário que em todo encontro o aluno diga o que sentiu na experiência da aula. Exercitar a todo tempo a escuta ativa é de fundamental importância para o JEPP. O aprendiz precisa ser um participante ativo para que a aprendizagem ocorra”.