RLAM esclarece sobre parada de produção na Unidade 32

Uma notícia divulgada no último fim de semana pegou muitos brasileiros de surpresa, em especial os franciscanos, com a informação de que a Refinaria Landulpho Alves Mataripe – RLAM iria parar.

Procurado pela Prefeitura de São Francisco do Conde, na pessoa da secretária de Desenvolvimento Econômico Ana Christina Oliveira, o gerente geral da estatal, William França, revelou que “ainda não há nada definido”, embora haja possibilidade, mas que, se vier a acontecer, será uma parada na produção da Unidade 32 – responsável pela destilação do petróleo – por 10 dias. Que não se confunda parada de produção com parada de manutenção, em que, no último caso, é realizada com o intuito de se fazer manutenção nos equipamentos.

Em contato com o gerente geral da RLAM, William França, fui informada desta possibilidade de parada na produção da Unidade 32 por 10 dias, mas não está totalmente amarrada a definição. Isso se deve principalmente pela quantidade de produto sem o devido escoamento, mas há de se avaliar outros fatores que podem levar a causa, como o mercado, que anda fraco, e o alto volume de importações“, previu a secretária. Para além dessas questões, a possibilidade de parada na produção de destilação do petróleo já sinaliza uma crise instalada nesta que é a segunda maior empresa de refino de petróleo do país, o que se deve em particular as políticas adotadas para o setor.

A parada de produção significaria um grande prejuízo às receitas dos municípios diretamente ligados a RLAM como também ao estado baiano, que passariam a arrecadar menos ICMS. Tendo em vista essa possibilidade, o prefeito Evandro Almeida juntamente com a secretária Ana Christina Oliveira e demais prefeitos que compõem o Consórcio SOMAR (Pitágoras Ibiapina – Candeias, Jeferson Andrade – Madre de Deus e Breno Konrad – São Sebastião do Passé) já estão se articulando com suas bases aliadas na tentativa de reverter o quadro e minimizar os impactos para a Região do Petróleo.

Fomos pegos de surpresa, mas já estamos iniciando uma política de enfrentamento para a questão, inclusive com a participação do deputado estadual Rosemberg Pinto e por meio das nossas alianças com o Governo do Estado. Tenho certeza de que o governador Rui Costa também tem interesse em resolver o impasse. Temos que nos mobilizar para que isso não aconteça, pois, do contrário, os prejuízos serão enormes“, relatou o gestor Evandro Almeida.

De acordo com o deputado Rosemberg Pinto, o assunto já foi tratado com o governador do estado. “Já tratei com o governador Rui Costa assuntos de interesse da Refinaria Landulpho Alves, que está com uma redução de refino e há uma previsão de suspensão das atividades da Unidade 32, a maior planta da refinaria, o que poderá reduzir em muito o ICMS, tanto para a Bahia quanto para os municípios, em especial, São Francisco do Conde, além de prejudicar os trabalhadores terceirizados da companhia. Inclusive, o governador já autorizou um encontro com os prefeitos do Consórcio Somar, coordenado pelo prefeito de São Francisco do Conde, Evandro Almeida, com a participação das cidades de Madre de Deus, Candeias e São Sebastião do Passé, para que a gente possa tomar uma medida com o estado da Bahia e os municípios envolvidos nessa questão”. O deputado ainda lamentou a política federal. “Lamento que o presidente Michel Temer tenha criado uma maneira de estimular a importação de derivados, impactando consideravelmente na produção do refino no Brasil, ou seja, prejuízo para a Petrobras e para os estados, fortalecendo as multinacionais nesse processo de importação de derivados do petróleo“, destacou.