São Francisco do Conde está entre os 10 melhores da Bahia

ORLA DE SÃO FRANCISCO DO CONDE

Há pouco mais de um mês, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN) divulgou o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), ano-base 2011. Dentre as 417 cidades baianas avaliadas, São Francisco do Conde apareceu entre os 10 melhores municípios em desenvolvimento, ocupando a 5ª posição do ranking estadual. Quando se trata da Região Metropolitana de Salvador (RMS), São Francisco aparece em 3º lugar. O IFDM mediu o desempenho nas áreas de Saúde, Educação e Emprego e Renda.

Com variação de nota entre 0 (mínimo) e 1 (máximo) ponto, o IFDM classifica o nível de cada cidade em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1). Diante do quadro, São Francisco do Conde apresentou o IFDM Consolidado de 0,7194, considerado moderado, marcando no campo do Emprego e Renda 0,7931 enquanto na Saúde o índice foi 0,7425 e Educação pontuou 0,6226. O município ficou atrás apenas de Lauro de Freitas, Luís Eduardo Magalhães, Salvador e Camaçari.

Embora o cenário nacional para a época em que os trabalhos desenvolvidos pelo FIRJAN tenha sido de desaceleração da geração de emprego e menor crescimento da renda, São Francisco do Conde teve um panorama diferente. O IFDM-Emprego e Renda foi o que mais cresceu, obtendo ganho expressivo de 14,09%, comparado a 2010, quando o indicador daquele ano foi 0,6952 ponto frente ao 0,7931 ponto registrado em 2011. Investimentos na área justificam o bom desempenho do município, tal qual a distribuição mais igualitária da renda local, através do PAS (Programa de Acolhimento Social), o qual oferece às famílias em situação de vulnerabilidade a complementação de até 80% do salário mínimo. Instituído em 2009 por meio de lei municipal, até 2011 mais de R$ 44 milhões foram injetados nos lares sanfranciscanos. Observando os dados oficiais do SINEBAHIA – órgão instalado no município em agosto de 2010 – é sabido que em pouco mais de 1 ano 326 postos de trabalho foram ocupados até dezembro de 2011. “Embora tenhamos tido um crescimento significativo nessa área, não necessariamente o dado condiz com a realidade sanfranciscana. O setor que mais empregou foi o industrial, sendo este impulsionado pela Refinaria Landulpho Alves. No entanto, a refinaria recruta profissionais de diversos lugares do país, não havendo assim uma obrigatoriedade para que os contratados sejam apenas de São Francisco do Conde. Enquanto governo, estamos criando mecanismos para atração de novas empresas, na qual, a contrapartida deva ser a contratação de pelo menos 90% da mão-de-obra local”, declara Paulo César Costa e Silva – secretário municipal de Desenvolvimento Econômico.

Já o IFDM-Educação passou da categoria regular (0,5999) para moderada (0,6226), um acréscimo de 3,8% para 2011. O reflexo do crescimento se deu, principalmente, pelo aumento da nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), nos anos/séries do Ensino Fundamental, que em 2011 foi 4.4 enquanto 2009 a nota foi 3.5. Somado a isso, nos primeiros anos da atual gestão, foram iniciados uma série de formações docentes, buscando a qualificação dos profissionais de ensino, conforme indicou a secretária municipal da Educação, Cristiana Ferreira. “Temos trabalhado diuturnamente nesse sentido de elevação da efetividade dos processos de ensino e da aprendizagem da rede municipal, tanto que em 2011 superamos a meta do Ministério da Educação, que era 3.6. Um crescimento de 26%, comparado com 2009. Foi uma vitória para nós sair da categoria regular para moderada, como indicou o FIRJAN, mas sabemos que ainda há muito que avançar”, afirmou Ferreira.

Enquanto isso, o IFDM-Saúde manteve para os anos de 2010 e 2011 o patamar moderado. O indicador 2010 foi 0,7408 e 2011 marcou 0,7425 ponto, um acréscimo de 0,5%. “Mudamos nossa política de Saúde, priorizando a Atenção Básica, e investimos para melhorar a infraestrutura, através de construção de unidades próprias, reformas e ampliações. Outra ação que reflete positivamente na nossa saúde é a realização de cursos de educação permanente, o que proporcionou a implantação de serviços como testes-rápidos contra sífilis, HIV e hepatite, triagem pré-natal e neo-natal, preventivos ginecológicos, coleta descentralizada de exames laboratoriais, dentre outros serviços nas unidades. Por fim, ampliamos a cobertura dos agentes comunitários, fortalecendo as ações preventivas em saúde. Dessa forma, permanecemos com o compromisso de garantir uma saúde de qualidade para a comunidade de São Francisco do Conde, respeitando os princípios e diretrizes do SUS”, ressaltou a secretária municipal da Saúde, Telma Silva.

No ranking nacional São Francisco do Conde ocupou o 1.296º lugar. Foram avaliados todos os 5.565 municípios brasileiros.

Mais informações www.firjan.org.br.