Segundo dia do seminário “Construção do Curso de Medicina na Unilab” falou sobre o projeto pedagógico e inserção regional

seminario medidicna 2016 1

O auditório do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde, foi palco do segundo dia do seminário “Construção do Curso de Medicina na Unilab Malês: Perspectivas e Ações”, que começou no dia 14 e segue até 15 de junho. Durante toda a manhã, aconteceram discussões sobre o projeto pedagógico, diretrizes e a inserção regional da Unilab.

A mediadora foi a diretora do Instituto de Ciências da Saúde e Integrante da Comissão de Implantação do Curso de Medicina na Unilab – CE, Emília Chaves. Também aconteceram falas da pró-reitora de graduação, Andrea Linard, do professor de Medicina da UFRB, Angelo Castro Lima e da diretora da Escola de Saúde Pública, Marcele Paim.

A trajetória de construção e implementação do projeto do curso de Medicina foi explicada pela pró-reitora de graduação, Andrea Linard. “Temos o desafio de dar continuidade a celebração dos acordos de cooperação e convênios que serão necessários para definir os cenários de práticas. As vagas serão destinadas aos brasileiros através do ENEM e do SISU e teremos um esquema de bonificação para as estudantes da região próxima aos campus das universidades na Bahia e no Ceará, porque a proposta para o curso é que ele privilegie as pessoas da região. A universidade tem o desafio da interiorização e da internacionalização”.

seminario medidicna 2016 9A segunda fala foi sobre a importância do modelo de formação instaurado pelo Programa Mais Médicos, com a palestra do professor de Medicina da UFRB, Ângelo Castro Lima. “Estamos vivendo um processo histórico e o programa Mais Médicos foi construído para mudar a realidade triste que nós identificamos, que o Brasil tem uma quantidade de médicos muito abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Especialmente na Bahia, tínhamos uma média ainda menor do que a brasileira e uma distribuição geográfica extremamente caótica. A primeira faculdade de Medicina foi fundada na Bahia pelo Rei Dom João VI, em 1808,  e nosso segundo curso público de Medicina foi fundado em 2012, 200 anos depois pela presidente Dilma Rousseff. Hoje, através do programa Mais Médicos, somos duas instituições supervisoras, 19 tutores, 159 supervisores, 1.474 médicos na Bahia distribuídos em 370 municípios, com uma cobertura estimada de 5 milhões de habitantes”.

seminario medidicna 2016 5A palestra sobre inserção e parceria para a formação e qualificação de profissionais de Saúde no estado, foi da diretora da Escola de Saúde Pública, Marcele Paim. “Com a Integração do Serviço Ensino Saúde na Qualidade do SUS Bahia, a gente envolve quatro atores fundamentais na formação: as instituições de ensino, os programas de residência em saúde, gestões municipais e estaduais e conselhos de saúde como controle social. A ideia é trabalhar com formação e desenvolvimento para o SUS com educação permanente em saúde com um conceito muito mais amplo. Com isso vamos desenvolver o curso com base nas necessidades de saúde e na capacidade de promover o desenvolvimento regional e o enfrentamento de problemas de saúde da região, com a participação ativa da comunidade”.

O primeiro dia do evento reuniu autoridades como o prefeito de São Francisco do Conde, Evandro Almeida, e o da cidade de Candeias, Sargento Francisco, além do reitor da Unilab, Tomaz Aroldo da Mota Santos, e a diretora do Campus dos Malês, Matilde Ribeiro. Também discursou durante a mesa de abertura o secretário municipal da Saúde, Marco Aurélio Bartolomeu dos Santos. As atividades do seminário também seguem na Unilab no turno da tarde.