Terceiro dia de Diálogos Pedagógicos 2019 aconteceu nas unidades escolares da Rede Municipal de Ensino

O terceiro dia de Diálogos Pedagógicos 2019 foi realizado nas unidades escolares da Rede Municipal de Ensino de São Francisco do Conde. Nas creches e escolas do município  aconteceram, desde o dia 20, planejamentos pedagógicos para as atividades deste ano letivo.

Os momentos de planejamento são de discussão, de análise das principais diretrizes do ano letivo, levando em consideração os objetivos traçados por cada unidade escolar. É um momento em que os professores e todos os profissionais reunidos, que fazem parte da escola, pensam nas principais ações para esses primeiros dias e para o ano todo. Então, se traçam diretrizes e é muito importante essa discussão, que é uma discussão coletiva”, considerou a diretora pedagógica do município, Cristiana Ferreira.

Na Escola Municipal Joaquim Alves Cruz Rios, os profissionais da educação foram recebidos na terça e quarta-feira com um café da manhã. No dia 19 foi realizada uma palestra sobre a história do município, com a participação dos colaboradores da Secretaria Municipal da Educação (SEDUC), Jossilene Vieira da Costa, pedagoga com especialização em Gestão e Coordenação, e José Marcelo Conceição da Silva, Mestre em Educação e Contemporaneidade, historiador e membro do Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre São Francisco do Conde.

”Trouxemos esses saberes da história local e como a história local permeia todo o fazer pedagógico na sala de aula, não só o fazer pedagógico de História e de Geografia, mas o fazer pedagógico de qualquer disciplina”, explicou José Marcelo.

Segundo ele, ”o trabalho foi muito bem recebido pelos professores porque eles perceberam a importância que tem conhecer a história local, principalmente percebendo a identidade local. Quem são esses alunos? Quais são as suas histórias? O que é ser franciscano? O que é morar em São Francisco do Conde? A proposta foi muito nessa linha de trazer uma ideia de pertencimento e de entendimento sobre a história local e sobre as trajetórias de vida”. Ele ainda explicou que “trouxe as particularidades de se morar, por exemplo, na Pitangueira, próximo ao Gurugé e Campinas, com a presença das fontes e dos sambas chulas na localidade, o samba que surge ali na Pitangueira. Ao final, os professores pediram uma parceria mais íntima com o núcleo onde o órgão pudesse estar junto com eles, pensando aula de campo para conhecer a cidade, usando exemplos locais nas aulas”.

Para mim foram ótimas as palestras, mataram um pouco da minha curiosidade sobre a história de São Francisco do Conde”, relatou o vice-diretor da escola, Jonatas Silva.

Na quarta-feira (20), a programação da Cruz Rios contou com a participação do Prof. Me. Anailton dos Anjos.

Ontem à tarde foi feita a distribuição da carga horária do planejamento de atividades para o período de 21 de fevereiro a 01 de março”, informou Jonatas.