V Festival de Samba de Roda agitou o fim de semana em São Francisco do Conde

São Francisco do Conde viveu momentos de alegria, música, samba no pé e cultura, através das atividades do V Festival de Samba de Roda do Recôncavo, com o tema “Samba – Raízes no Recôncavo”. O evento começou no dia 20 de novembro e foi até o domingo, dia 26, com muitas atividades para a comunidade. Na sexta-feira, dia 24, a orla marítima foi tomada pelo samba. Por lá passaram os grupos Samba de Maragogó, Samba Filhos de Zé e Samba São Gonçalo.

Já no sábado, dia 25, os festejos em honra ao samba começaram cedo, às 16h, com uma Roda de Samba com os Mestres Homenageados, que aconteceu no Mercado Cultural. Receberam um troféu simbólico durante o evento: Milton Primo, Samba Chula Os Filhos de Zé; Ivan, do Samba Filhos de São Francisco; Carmelito, do Samba Raízes de São Francisco; Mãe Áurea, Samba Raízes de Angola; João de Deus, Samba Raízes do Monte; Bango, Amigos do Samba; Valnísia Costa, Samba São Gonçalo; Francisco Paulo, Samba Crioula; mestre Dionísio, Samba Renovação; mestre Celino, Samba Filhos da Terra (Terra Nova); mestre Primeiro, Samba Sou da Raiz (Santo Amaro); mestre Aloisio, Samba Coisas de Berimbau (Conceição de Jacuípe); mestre Avelino, Samba Segura a Véia (Muritiba); mestre Geninho, Samba Filhos de Varre Estrada (São Félix); mestra Dona Cadú, Samba Maragogó (Maragogipe); mestra Dona Ana, Samba Suerdieck (Cachoeira); mestra Rita da Barquinha (Bom Jesus dos Pobres); mestra Nicinha, Samba Nicinha (Santo Amaro).

Fizeram parte da composição da mesa: Osman Ramos, secretário de Cultura; o vereador Edcarlos Almeida Vasconcelos; a presidente do Conselho Municipal de Cultura e gerente do Departamento de Patrimônio Histórico-cultural, Bernadete Silva; o representante da Secretaria Municipal de Turismo, Gliuson de Jesus do Carmo; o coordenador da Associação de Sambadores e Sambadeiro, Alexnaldo dos Santos; a gestora cultural, Alva Célia Medeiros e a delegada Patrícia Pinheiro.

O objetivo do evento foi tratar do Plano de Salvaguarda do Samba, garantindo a perpetuação do ritmo para as próximas gerações. À noite, foi a vez do grupo Filhos de São Francisco se apresentar, seguido por Samba Filhos da Terra, Poder do Samba e Viola de Doze.